SAÚDE MENTAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE: Prevenção e Cuidados em Tempos de Pandemia

No cenário pandêmico atual, o qual a população mundial está atravessando desde 2019, há uma preocupação excessiva, porém necessária, com a possível infecção com o novo coronavírus. Ao se preocupar com a saúde física, que se encontra em risco, caso o indivíduo seja infectado com o vírus, a população tem esquecido de se preocupar com a saúde mental e por isso tem desenvolvido uma série de transtornos mentais, desde ansiedade, síndrome do pânico, TOC, depressão, dentre outros. Contudo, não é apenas a população adulta que está suscetível a desenvolver estes transtornos. Crianças e adolescentes também têm sofrido psiquicamente com tal situação. Sem previsão do que estaria por vir, houve de maneira inesperada uma mudança completa na rotina das pessoas: distanciamento e isolamento social, trabalho na modalidade home office, aulas remotas, dentre outros fatores que alteraram significativamente o estilo de vida da população. Nestas condições, crianças e adolescentes estão mais sensíveis a desenvolverem problemas emocionais diversos e que não sendo devidamente identificados e tratados, podem trazer sérios prejuízos na idade adulta.
As crianças, desde a mais tenra idade, apresentam a inclinação para a sociabilidade e a interação, gostam de brincar, de explorar o mundo e de desbravar o desconhecido; com os adolescentes, não acontece de forma diferente, gostam de estarem em contato com os colegas, para passearem e se divertirem juntos, gostam de buscar novas oportunidades e investir no campo das relações. Daí, quando de maneira brusca, se veem obrigados a ressignificar o estilo de vida ao qual estavam habituados são acometidos de sofrimento psíquico das mais diversas ordens, principalmente pelo fato de não terem maturidade para entender e lidar com a situação. É notório que os casos de ansiedade, depressão, estresse, síndrome do pânico, dentre outros transtornos têm aumentado significativamente entre o público infanto-juvenil. Tais transtornos precisam ser prevenidos por meio de estratégias de adaptação ao novo estilo de vida e da conscientização acerca da origem e dos sintomas dos mesmos. E, ao menor sinal de suspeitas de que algo não vai bem, se faz necessário a consulta a um profissional de saúde mental, para identificar e tratar tais transtornos.
As formas de prevenção podem se dar de maneira criativa, levando-se em consideração a passagem do real para o virtual, do presencial para o remoto, do próximo para o distante. Este tempo, no qual crianças e adolescentes são obrigados a se adequarem às novas formas de existência, deverá ser otimizado com atividades que levem a combater o ócio, minimizar o estresse e outros desequilíbrios emocionais e a enfrentar a situação de isolamento e distanciamento. Porém, é preciso limitar e vigiar o contato com as novas tecnologias e a frequência de acesso às redes sociais, pois já se vislumbra, não apenas entre as crianças e adolescentes, mas também entre os adultos, um outro tipo de transtorno e que demanda cuidados, que é a dependência tecnológica. Falando das formas de tratamento, estas irão depender do profissional a ser consultado para diagnosticar e tratar o problema. O psicólogo ou o psicanalista, ao ser consultado irá propor o plano de tratamento por meio da psicoterapia, que é um método de tratamento visando a elaboração de conflitos e o auto conhecimento do sujeito frente ao problema. O psiquiatra, irá propor a farmacoterapia, que é o tratamento por meio do uso de medicação que, mal administrado, também poderá causar dependência no paciente, o profissional é que está capacitado para prescrever a medicação, indicar a dosagem e decidir quando seu uso deve ser interrompido. E por vezes, se faz necessário associar ambas as formas de tratamento, com psicoterapia, visando tratar as raízes do problema, unida à farmacoterapia, que, por sua vez, dará uma atenuada nos sintomas da doença. Certo é que, de uma forma ou de outra, ao se perceber o sinal de um transtorno, deve-se o quanto antes, buscar ajuda profissional.

Antonio Sabino da Silva
Psicólogo
CRP 02/16390

Consultório de Psicologia – Bezerros:
Avenida Aquílio Bernardo Vieira, nº 03 (Ao lado dos Consultórios Médicos de Bezerros)
Bairro São José – Bezerros – PE

Clínica Saúde Mais – Gravatá:
Rua Quinze de Novembro, 302 (Em frente ao VerdFrut)
Bairro Nossa Senhora das Graças – Gravatá – PE

Agendamento de Consultas: Pelo WhatsApp (81) 9 9428 2563
Instagram: @psicosabino
E-mail: antoniosabinopsi@hotmail.com
Site: www.psicoantoniosabino.com.br

Share

RELACIONAMENTOS AMOROSOS: PARA ALÉM DO AFETO

A busca por um parceiro, ou por uma parceira, tem se tornado uma constante na vida de qualquer ser humano, que por acaso não queira viver sozinho, principalmente quando seu objetivo é constituir família e, dessa forma partilhar a vida com outra pessoa e com os filhos, caso venham a surgir no relacionamento. No entanto, esta busca constitui-se num grande desafio, à medida que, nos tempos hodiernos, diversos fatores têm influenciado de maneira significativa as relações entre os seres humanos, não só os relacionamentos amorosos, mas as relações humanas de um modo geral.
Falando em termos conjugais, relações pautadas na intimidade e na cumplicidade tendem a dar mais certo do que aquelas pautadas em interesses diversos como, por exemplo, financeiros, sociais e culturais. Na busca por um relacionamento amoroso, deve se levar em consideração as qualidades da pessoa como pessoa e, não apenas suas condições econômicas, seus valores culturais e a posição social que ocupa. Tais fatores influenciam o relacionamento, mas não devem ser determinantes do mesmo. Para uma relação a dois obter êxito é necessário que ambos os envolvidos exercitem desde cedo o companheirismo, a cumplicidade, a lealdade, a confiança e o amor mútuo.
Toda relação entra em crise, é verdade. Mas quando isso acontecer, o casal deverá ter em mente que se a relação for construída em bases sólidas, como a casa sobre a rocha (lembra da parábola?) nenhum vento forte irá facilmente levá-la à ruína. E se por um acaso, diante dos conflitos que emergirem da relação, os envolvidos não conseguirem, por si só, resolver tais questões, poderão lançar mão de uma outra busca, a busca por ajuda. E são muitas as maneiras de um casal buscar ajuda. Seja com os amigos que partilham da intimidade do casal, seja com o líder religioso do templo em que frequenta, seja com parentes próximos, toda ajuda é válida. Mas quando a coisa toma proporções que fogem do controle de ambos, o mais indicado é recorrer à ajuda profissional na Psicologia, por meio de uma terapia (ou psicoterapia, pra ser mais preciso) de casal, onde o psicoterapeuta por meio de técnicas psicoterápicas diversas levará o casal a se conhecer melhor, enquanto casal e enquanto indivíduo. E dessa maneira, se houver meios de superação da crise, com toda certeza, ambos encontrarão as saídas necessárias para manter a relação de pé.
Finalmente, é bom lembrar que, na busca por um relacionamento amoroso, ou até mesmo na manutenção de uma relação, não existe o parceiro ideal ou parceira ideal. Existem sim, pessoas reais, com seus medos, seus fracassos, suas angústias, seus valores, suas potencialidades, seus sonhos e esperanças. Resumindo, em qualquer tipo de relação, seja amorosa ou não, o que existe são pessoas reais, vivendo uma relação real. E dependendo de como a relação seja conduzida, mantida, vivida os envolvidos na mesma poderão fazer a experiência daquilo que todo mundo almeja e que chamamos de felicidade.

Antonio Sabino da Silva
Psicólogo
CRP 02/16390

Consultório de Psicologia:
Avenida Aquílio Bernardo Vieira, nº 03 (Ao lado dos Consultórios Médicos de Bezerros)
Bairro São José – Bezerros – PE
Agendamento de Consultas: Pelo WhatsApp (81) 9 9428 2563
Instagram: @psicosabino
E-mail: antoniosabinopsi@hotmail.com
Site: www.psicoantoniosabino.com.br

Share

Se antes servia contra o ex-prefeito, observações críticas continuam valendo

Houve uma reação orquestrada por parte de seguidores da prefeita Lucielle Laurentino (DEM) quanto a um observação crítica da visita de ministros de estado em Bezerros. Uma excelente oportunidade para a prefeita defender projetos que o município tanto anseia e que nunca cansamos em defendê-los. Quem acompanha de verdade o veículo não tem dúvida de sua independência editorial ao longo de sua história, bajular governos do momento nunca foi e nem será o nosso forte. A redação sempre tem observado e chamado a atenção para o pouco tempo da prefeita à frente da gestão, mas o prognóstico revelado em algumas atitudes de governo não são animadores. As críticas quando bem assimiladas servem como alerta para reorientar tomadas de atitudes por parte dos líderes evitando trágicos finais. A publicação não agradou aos paparicados da atual gestão, que agora dispensa com facilidades críticas que antes serviam para o ex-prefeito Breno Borba (PSB). Aqui, para a infelicidade dessa turma, “pau que bateu em Chico também baterá em Francisco”.

Da redação

Share

Sismube pede ao poder legislativo maior empenho com os servidores da Saúde

No dia de hoje, o Sismube, sindicato dos servidores públicos municipais de Bezerros, protocola e reforça o pedido uma ação concreta para os servidores da Saúde, mais precisamente os que estão atuando na linha de frente ao combate do Corona vírus.
“Em março de 2020, solicitamos aos poderes legislativo e executivo uma gratificação temporária, bem como o pagamento no grau máximo de insalubridade a todos os servidores que atuam diretamente no combate da Covid-19, mas, não tivemos nenhum retorno destes poderes.
Amanhã, Dia 07 de abril é o dia mundial da saúde, buscamos mais uma vez uma ação concreta para esses heróis da vida real.
Todos os dias estes guerreiros arriscam suas vidas para salvar o mundo dessa terrível pandemia.
O pagamento da insalubridade é o mínimo que estes profissionais merecem, pois este direito está garantido por lei (PL 1.802/2020).”


Vanessa Lima,
Presidente do Sismube.

Share

“Espero que esse vídeo sirva de reflexão”, diz internauta sobre a prática do Parkour

A arte do movimento, também conhecido como Parkour é uma atividade com muitos benefícios físicos, mentais e sociais.

Eu como praticante de Parkour há mais de 10 anos, digo sem sombra de dúvidas que a última coisa que os praticantes querem é destruir as estruturas, porque se danificar, além de errado seria menos um lugar pra treinar, como mal temos lugar pra treinar, não faz sentido destruir.

Sei que dependendo do local pode sujar a parede, e como praticamos um esporte conciente, isso se resolve fácil com os próprios praticantes pintando os locais que eles chegaram a sujar, se esse for o problema.

Espero que esse vídeo sirva de reflexão pras pessoas da prefeitura e da comunidade observarem que existem jovens praticantes de um esporte com muitos benefícios e que merecem uma atenção pra um espaço próprio de treino que dá pra fazer fácil com pneus recicláveis e materiais baratos.

Paulo Henrique Duracell

Share

BENEFÍCIO EVENTUAIS NO SUAS

Você já ouviu falar que a Secretaria de Assistência Social do seu município “dá Cestas Básicas as famílias carentes?” Já ouviu de algum vereador que conseguiria uma pra você na intenção de barganhar politicamente? Pois bem, nosso texto de hoje irá evidenciar algumas questões importantes sobre esses benefícios.

Inicialmente é relevante esclarecer que este benefício não é dado, e sim concedido, pois não é caridade, é um direito do cidadão e da cidadã que é garantido e regulamentado por lei. O que nos provoca a debater este assunto é a quantidade de pessoas que ligam constantemente para as rádios solicitando a cesta básica e enxoval.

É fato que muitas famílias estão vivenciando situações de extrema vulnerabilidade social, principalmente devido a pandemia do Covid-19. Porém, apesar de sabermos como, onde e quando as famílias podem procurar e receber esse benefício, quem mais necessita deles desconhece a existência e ficam a mercê da caridade e boa vontade da sociedade.

É notório o desconhecimento dos seus direitos. Mas, como procurar por algo que não se conhece? Aí a gente se pergunta: porque quando ligam para a rádio não é informado sobre esses benefícios? A rádio, que é uma ferramenta tão importante de comunicação conhece os serviços da Assistência Social? E a população conhece? A Política de Assistência Social tem chegado de forma clara e transparente nas comunidades mais vulneráveis?

Pensando em todos esses questionamentos e como forma de informar a você cidadão e cidadã bezerrense, vamos para um breve relato do que são esses Benefícios Eventuais. De acordo com a PORTARIA Nº 146, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2020, que aprova a Nota Técnica que manifesta posicionamento da Secretaria Nacional de Assistência Social sobre as ofertas de benefícios eventuais no âmbito da Política de Assistência Social e sua interface com doações, os benefícios eventuais constituem direitos com diretrizes de oferta previstas no âmbito do Sistema Único de Assistência Social – SUAS e regulamentação específica no Município, conforme características de cada território.

Os Benefícios Eventuais fazem parte da proteção social que se caracteriza por sua oferta de natureza temporária para prevenir e enfrentar situações provisórias de vulnerabilidade decorrentes ou agravadas por nascimentos, mortes, vulnerabilidades temporárias e calamidades. E fazem parte das seguranças assistenciais, de acolhida, sobrevivência e convivência familiar, social e comunitária.

Esses benefícios dividem-se em: auxílio natalidade, auxílio funeral, auxílio para situação de vulnerabilidade temporária, auxílio para atender situação de calamidade pública e auxílio transporte. Já que a Política de Assistência Social não chega até você, vá até ela. Principalmente vocês, mulheres gestantes e chefes de família que encontram-se em situação de vulnerabilidade social, procure a Secretaria de Assistência Social com nova nomenclatura “Secretaria de Cidadania” e se informem, corram atrás dos seus direitos. Jamais enxerguem esse benefício como uma ajuda que lhes foi doada, e sim como direito garantido através de muita luta.

Para conhecer mais sobre essa lei procure: Lei de Nº 1.259 de 29 de Novembro de 2017, que dispõe sobre a concessão de Benefícios Eventuais do município de Bezerros, Estado de Pernambuco, em conformidade com a Lei Federal nº 8.742, de 07 de Dezembro de 1993 e suas alterações.

Fique de olho! Não perca seu direito!

Por Michele Silvestre, Associada AFABE, Assistente Social e Militante Fundadora do Movimento Mulheres em Pauta.

Share

SAÚDE DA POPULAÇÃO DO CAMPO E NEGRA DE BEZERROS

Durante o mês de fevereiro tive a oportunidade de realizar o estágio estratégico da Residência Multiprofissional de Saúde da Família com Ênfase nas populações do Campo – Universidade de Pernambuco (UPE), na Associação dos Filhos e Amigos de Bezerros – AFABE. Enquanto profissional de saúde e pertencente à zona rural desse município (Sapucarana), não teria melhor local para conhecer e discutir a realidade da população do campo de Bezerros que não fosse a AFABE, considerando a sua história e os serviços prestados às comunidades rurais por essa associação, nos seus quase 30 anos.

Diante dessa oportunidade questiono: Você sabia que Bezerros tem quilombo reconhecido pela Fundação Palmares? Sabia que temos população ribeirinha e vários assentamentos rurais? Sem falar do vasto território rural que abrange toda a cidade. Diante dessas questões trago outras inquietações que dão sentido a esse texto: O SUS está chegando às populações do campo de Bezerros? O município conhece a realidade e as reais demandas da população rural? O que o Controle Social tem feito para defender essas bandeiras?

A tentativa de responder aos questionamentos nos leva à discussão da questão agrária brasileira, considerando as desigualdades sociais estruturais e dificuldade de acesso das populações do campo, que fragilizam o acesso a vários direitos, sendo a saúde um deles. Diante disso, várias lutas e discussões foram realizadas nacionalmente em prol da criação de políticas que contemplem as demandas dessas populações, resultando assim a: Política Nacional de Saúde Integral à Saúde da População do Campo e Floresta (2013) e Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da População Negra (2009).

Para garantir a efetivação dessas políticas, outras precisam caminhar em conjunto, como é o caso dos Núcleos de Apoio a Saúde da Família- NASF que existiam no município, mas desde dezembro houve o desligamento das duas equipes. Diante disso, destacamos que essa decisão traz impactos negativos a toda à população, principalmente a população do campo, além de mostrar os reais interesses das gestões municipais. Por isso, enfatizamos que DEFENDER O NASF É DEFENDER O SUS E AS POPULAÇÕES DO CAMPO.

As políticas mencionadas anteriormente, existem nacionalmente e precisam ser implementadas a nível municipal para garantir de fato o princípio de equidade no SUS. Essa discussão começou a ser feita no Conselho Municipal de Saúde a partir da AFABE, de forma que encaminhamos na ultima reunião a proposta à Secretaria de Saúde de criação de um Grupo de Trabalho – GT na Atenção Básica da Política de Saúde da População do Campo e Negra, em prol de fomentar a discussão e futuramente criar a política no município. Também encaminhamos a retomada das equipes NASF seguindo os princípios de sua criação e fortalecendo à Estratégia de Saúde da Família com uma perspectiva de saúde integral. Além dessas defesas destacamos aqui a importância do fortalecimento da agricultura familiar e da agroecologia enquanto promotoras de saúde, do povo do campo e da cidade.

A defesa dessas bandeiras precisa ser feita urgentemente para que possamos de fato ter uma saúde para o povo e com o povo. Venha com a AFABE defender estas bandeiras!

SaudedoCampodeBezerros #SUS #AgriculturaFamiliar #CMS #ControleSocial #AVozDaAFABE

Share

DIA DA MULHER BOMBANDO, MAS O QUE QUEREMOS?

Não temos o que comemorar com tantas mulheres morrendo todos os dias, outras em situação de violência e tantos direitos nos sendo negados. Em meio a uma pandemia a violência doméstica não diminui, ela está mais privada do que nunca, e se a dor da outra não te comove companheira, existe algo errado com você.
“As mulheres que vivem com agressores já viviam isoladas,e agora estão praticamente em cárcere privado”, essas são as declarações da superintendente geral do Instituto Maria da Penha. Existem levantamentos que mostram a diminuição no número de casos de violência doméstica durante a pandemia, porém especialistas alertam que esse indicador mostra que está mais difícil para as mulheres fazerem denúncias e acessar os serviços de apoio.
Vocês sabiam que o produto utilizado para desinfetar as mãos, tornou-se arma na mão do agressor? Isso, mesmo. Perdemos nossas vidas a toda hora, enquanto você lê esse texto, uma mulher em algum lugar está sofrendo algum tipo de violência. Nossa luta é todo dia, toda hora, todo minuto. Mas afinal, o que queremos? O Mulheres em Pauta através de pesquisas e relatos de muitas mulheres tem o prazer de lhes apresentar uma lista de algumas pautas que são de extrema relevância para nós.
Nós queremos: vacina para todas, ruas iluminadas, serviços de atendimentos efetivamente especializados, parto humanizado, segurança pública, volta do auxílio emergencial, educação sexual de qualidade nas escolas, prioridade no serviço público para as mulheres em situação de violência, oportunidade de emprego e renda, benefícios eventuais sem atraso, políticas públicas de qualidade, mais creches, divisão do trabalho doméstico, direitos trabalhistas, que nenhum homem corte nossa fala, igualdade salarial, mais projetos com atividades socioeducativas para nossos/as filhos/as, o fim da intolerância religiosa, atendimento humanizado nas delegacias, enfrentamento ao capacitismo, gordofobia, LGBTfobia, racismo e o capitalismo que tanto nos destrói. Queremos direitos iguais entre homens e mulheres. Queremos viver! Parem de nos matar!
Aqui consta apenas algumas das nossas pautas, agora a pergunta que não quer calar. Você acha que com tanta injustiça e com tudo que ainda nos falta, queremos apenas um dia 8 de Março fantasiado de flores, presentes e homenagens? A resposta é sua que sente todo dia na pele o desafio de ser mulher.
Que Lugar Você Ocupa Nessa Luta? MULHERES!
Michelle Silvestre – Mulheres em Pauta.
81 99457-7862

Share

MULHERES EM PAUTA: 8 DE MARÇO – HISTÓRIAS DE LUTAS

Esse mês o Mulheres em Pauta trará toda semana um texto sobre o 8 de Março e o mês das mulheres. Com a intenção de aproveitar a vivência do mês para refletirmos juntos e juntas sobre nossas lutas.
VOCÊ CONHECE A VERDADEIRA HISTÓRIA DO DIA 8 DE MARÇO?
Muitos dos nossos direitos foram conquistados a partir de muito sangue. Não nos resta dúvida que o tão conhecido DIA DA MULHER é uma data política, pois vem da luta de mulheres operárias. A história que é reproduzida por muito tempo é que o 8 de março, Dia Internacional da Mulher, surgiu por causa da morte de 130 operárias carbonizadas em um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911 e existem várias versões deste episódio.
Essa versão trágica do surgimento da data, em que mulheres morreram de forma passiva enquanto trabalhavam, acabam visibilizando a história de luta e mobilização das mulheres operárias que no final do século 19 se organizavam contra governos e patrões por melhores condições de trabalho.
A criação da data foi motivada por fortes movimentos de reivindicação política, trabalhista, greves, passeatas e muita perseguição policial, e não somente pela morte de dezenas de mulheres exploradas pelo capital. Até que, em 1975, a ONU oficializou o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher por meio de um decreto.
Mas a nossa maior provocação é refletir sobre a importância de desvincular o 8 de março, hoje considerado um dia festivo e capitalista em que as pessoas insistem em “presentar” e “homenagear” mulheres com presentes, flores e outros. Nada contra os mimos e os carinhos espalhados neste mês, porém não podemos esquecer o mais importante, que a luta daquelas mulheres operárias por melhores condições de trabalho precisa estar travada no nosso cotidiano.
Não podemos permitir o apagamento do protagonismo das mulheres em sua própria história social e política. Juntas somos mais fortes sempre!

Que Lugar Você Ocupa Nessa Luta? MULHERES!
Michelle Silvestre – Mulheres em Pauta.
81 99457-7862

Share

Carnaval de Bezerros é lembrando em Podcast de abrangência nacional

Por Noel Nerde Borba

           Eis que de forma muito inusitada Bezerros aparece no cenário nacional, embora que a um público restrito, mas de grande relevância.  Os mais aficionados pelo o universo de canais do Youtube sabem que o hype do momento são os podcasts muito numerosos nas terras estadunidenses, mas que só agora desabrocharam no cenário nacional com o grande número de visualizações do Flow Podcast ( um canal do Youtube). Se há alguns meses o auge de vídeos e visualizações estava centrado basicamente em: amoebas, fidger spinner, banheiras de Nutella e outras coisas bem mais inusitadas…

           Hoje vemos os podcasts com uma grande diversidade de assuntos. E foi neste cenário que no canal Inteligência LTDA (podcast) – do comediante de stand-up, desenhista e um dos fundadores do Mundo Canibal –  Rogério Vilela em uma longa conversa , de mais de quatro horas, com o também comediante – Pernambucano –  Rodrigo Marques que vemos e ouvimos interessantes falas sobre a nossa querida Bezerros.

           Dentre os inúmeros assuntos tratados, ao responder a uma pergunta de um dos expectadores sobre o carnaval de Olinda, às 3h:30 (aproximadamente), o anfitrião Rogério Vilela pergunta se o Rodrigo Marques conhece o Carnaval de Bezerros (?)

           Muito surpreso, Rodrigo Marques indaga: como é que “tu conhece” o carnaval de Bezerros!? [3h: 31min]

           Ao que Vilela responde: em um trecho do meu livro há uma cena que se passa no carnaval de Bezerros, por conta dos papangus….

           No decorrer da conversa Vilela informa que nunca foi ao Carnaval, mas que teve que pesquisar, e , graças a uma amiga (que é de Bezerros) ele obteve algumas informações e gravações da festa. O anfitrião expõem também seu desejo de conhecer nossa tradicional festa.

           Será que teremos mais um convidado ilustre para o nosso próximo carnaval?

           Por fim, Rodrigo Marques diz que é amigo do neto de um tabelião da cidade. 

           A menção foi muito breve se comparada a toda a extensão do vídeo, mas, considerando a relevância nacional dos participantes e a probidade do canal que já entrevistou, dentre outros, Danilo Gentili , Nany People, Ricardo Ventura, Rogério Morgado, Afonso Padinha…  Foi uma gratíssima surpresa, já que tristemente, neste ano, tivemos apenas um solitário bloco de saudades de nossa festa tão grandiosa. 

Segue o link do podcast:

Share

A ROMANTIZAÇÃO DA MULHER GUERREIRA

Você já percebeu que quanto mais as mulheres trabalham, mais são conhecidas e chamadas de guerreiras? Isso mesmo, aquela que vive morta por dentro e não pode demonstrar canseira. Pelo contrário, é a fortaleza da família.
As pessoas, através de um processo cultural e enraizado em nossa sociedade, tendem a romantizar essas mulheres e suas vidas. Mas será que é normal romantizar: noites mal dormidas e sobrecarga de trabalho?
Mulheres que tudo suportam. Aquelas que vivem esgotadas com o fardo:
filhos/as, casa, companheiro/a e mercado;
As que não ouvem sequer um “precisa de ajuda?”
Aquelas que estão com o mundo nas costas,
cansadas, exaustas e sem respostas.
Muitas já entenderam que vivem só, sem olhares de pena ou de dó.
As guerreiras, que tornam-se símbolo de resistência. Há duras penas, sofrendo a cada dia triplas jornadas de trabalho silenciado, não remunerado e ainda aplaudido.
Mas são guerreiras pra quem? Pra quem usufrui da responsabilidade mal distribuída?
Anuladas, silenciadas e até homenageadas, elas seguem vivendo nas sombras de uma sociedade que grita:
”Ah, ser mulher é isso, é a vida”.
E que vida!
O Mulheres em Pauta de hoje te propõe refletir o seguinte: para as mulheres que convivem contigo e que certamente tu admira e as enxerga como “guerreiras”, o que tu tens oferecido?
Eu posso dividir as tarefas contigo, ou, que coisa linda tá tudo limpo que mulher guerreira?
Que Lugar Você Ocupa Nessa Luta? MULHERES!

Michelle Silvestre – Mulheres em Pauta.
81 99457-7862

Share

Ingressos para palestra motivacional

Adquira seu ingresso para a palestra motivacional de Cláudio Vieira e ganhe o livro “Um Viva à Vida! Você pode e deve ser feliz”. Os amigos Wendel Silva e Agnaldo já confirmaram presença para o dia do lançamento.

Pierre Pessoa

Share

MULHERES EM PAUTA: A busca da perfeição. Vale a pena?

Esses dias nos deparamos com as redes sociais lotadas da notícia sobre morte da influencer Liliane Amorim, que faleceu devido a complicações de uma lipoaspiração.

Vivemos um momento tão dificil, onde uma pandemia mata pessoas todos os dias, ensinando pra gente o valor da vida, e ainda assim temos mulheres se arriscando por causa da pressão exigida por um padrão corporal perfeito.

Histórias assim nos fazem refletir o peso que a construção da gordofobia tem sobre nossos corpos e nossas vidas.
E não cabe a nós julgar quem quer que seja, pois todos e todas temos um pouco de responsabilidade nisso.

Percebam que os filmes e séries, a TV e o jornalismo fortalecem há décadas em suas expressões e narrativas a ideia de que é preciso ser magra para ser bonita e conseguir o espaço tão desejado por muitas mulheres.

Vocês já refletiram como historicamente as pessoas gordas são representadas na mídia? Vamos pensar um pouco, as mulheres gordas que vemos por aí nas telinhas raramente estão ligadas a narrativas boas.
O fato é que o emagrecimento sempre foi retratado como uma grande conquista das mulheres.

Se em nossa trajetória de vida sempre escutamos essas histórias, não é de se estranhar que mulheres mesmo já sendo magras estejam sempre querendo ser ainda mais magras, como se isso pudesse melhorar suas vidas de alguma forma. Buscando sempre procedimentos estéticos e correndo os riscos de cirurgias para alcançar seu objetivo.

Não pretendemos com esse texto criticar as Mulheres que agem assim, pois sabemos que todos esses pensamentos são frutos de uma sociedade cruel e impositiva. Mas, nossa finalidade é dialogar sobre tal, afim de nos fortalecemos, juntas.
Para que mais e mais mulheres percebam o quanto são lindas e maravilhosas.

Que Lugar Você Ocupa Nessa Luta? MULHERES!
Michelle Silvestre – Mulheres em Pauta.
81 99457-7862

Share

Papanguarte comemora 24 anos de existência e resistência em defesa da Cultura

Papanguarte celebra hoje, quarta-feira (20/01), 24 anos de existência e resistência em defesa e propagação da cultura popular, em especial, aos Papangus de Bezerros. É um trabalho árduo e de muitas lutas e conquistas mas quando se faz com Amor e respeito as diferenças as coisas fluem e os frutos aparecem através do reconhecimento seja por parte do público, poder governamental e principalmente por todos aqueles fazedores mestres e defensores da cultura nas suas diversas linguagens. Que o Deus das Artes e da Beleza iluminem nossos caminhos trazendo Paz Saúde Amor União Harmonia e muito Sucesso. Papanguarte – o prazer de dançar a Cultura Pernambucana. Cheiro no coração de todos ❤💚💛💙

Por Carlos Marques

Share

Ideias práticas para decorar pequenas casas

Uma casa pequena possui o seu charme todo especial também. Existem soluções bem interessantes para deixar uma casa ou apartamento de pequenas dimensões, em locais bem agradáveis e aconchegantes. Quando pensamos em imóveis grandes, logo imaginamos sofás enormes, guarda roupas gigantescos, enfim, tudo amplo para se adequar ao ambiente. Com relação aos apartamentos e casas menores, há soluções bem inteligentes para aproveitar o espaço o máximo possível dando uma beleza toda especial. Não sabe por onde começar? Procure pelos móveis em eventos como o Black Friday, e terá boas condições de preços e pagamentos.

Pense no projeto inicial

Fale com um profissional de sua confiança. Um bom arquiteto te ajudará com as medições e sugestões de móveis para sua residência. Ele pensará em cada cômodo de forma especial, e criar um ambiente harmônico e equilibrado.

Móvel planejado

Uma ideia interessante para uma casa ou apartamento de tamanho pequeno é ter um móvel planejado. Modernidade e organização devem fazer parte deste novo modelo de decoração. Uma cozinha pequena com um móvel planejado dá um toque mais do que especial.

Estante alta

Quando pensamos em estantes, logo nos vem a mente aquelas enormes, mas no seu caso que o quarto é pequeno, uma estante alta e de profundidade rasa, ou seja, prateleiras mais curtas, deixam o ambiente bem harmonioso.

Mobiliário funcional

Separar os cômodos com um mobiliário funcional é uma atitude bem interessante. Sua casa ficará organizada e mais fácil de entender onde os objetos se encontram. Você pode achar um bom mobiliário funcional no Black Friday 2019 com bons descontos.

Compre nichos

Os nichos são excelentes formas de organizar sua casa. Os objetos ficarão guardados em locais estratégicos, e claro, um quê de elegância será encontrado facilmente. Os seus amigos ficarão encantados com os nichos.

Cores claras

Uma cor clara dá amplitude em um cômodo pequeno como o banheiro, por exemplo. Dê preferência as cores bem claras, e com certeza o seu ambiente ficará mais equilibrado. Uma ideia simples e eficaz.

Na sala use estantes junto a TV

Se sua sala for pequena, claro que uma boa estante pode te ajudar a decorar o ambiente. Coloque livros sobre ela, por exemplo. Sua TV não ficará sozinha no ambiente e claro, que ficará mais harmonioso.

Faça uso de pequenos quadros

Nos quartos e na sala, faça uso de pequenos quadros. Escolha uma madeira bem bonita, e estes quadros terão um destaque na decoração mais do que especial.

Os móveis de cozinha devem ser escolhidos a dedo

Os móveis de cozinha são essenciais, afinal de contas, os talheres, copos, pratos, estão por todo lugar. Dê preferência a estantes, prateleiras e gavetas, e deixe tudo muito bem organizado. O importante é não tropeçar em nada no seu dia a dia.

Share

SUPERINTENDÊNCIA DO BB EM PERNAMBUCO NEGA MUDANÇAS NA AGÊNCIA LOCAL

IMAGEM INTERNET ARQUIVO

O vereador Eliel Vieira, um dos representantes da comissão de vereadores que vem tratando sobre assuntos dos bancos no município, entrou em contato com a Superintendência Estadual do Banco do Brasil questionando sobre a possibilidade de fechamento da agência Bezerros, previsto para  esta quarta-feira, segundo comentários e publicação do site. O vereador nos repassou que, segundo a superintendência do banco, a notícia que circula na cidade não procede e que as atividades da agência continuarão normalmente.  A resposta repassada ao vereador se deu as 17:20 de hoje.

LEIA: AGÊNCIA DO BANCO DO BRASIL DE BEZERROS DEVE ENCERRAR ATIVIDADES INTERNAS

Da Assessoria

Share

PORQUE FAZER UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA SEU NEGÓCIO?

As dificuldades para gerir um negócio são diversas, e abrir uma empresa seja um micro ou pequeno negócio, e gerenciar uma marca em meio a um mercado tão competitivo, com milhões de marcas surgindo a todo momento, é um desafio gigante que requer   a utilização de um Planejamento Estratégico, pois a ausência de um conjunto de ações de planejamento, metas, organização e marketing visual, consequentemente é o que leva inúmeros estabelecimentos a fechar as suas portas e a enterrar a sua marca.

Gerir um comércio é como cuidar de uma criança pequenina durante todo o seu crescimento, com cuidado e muita atenção a cada evolução do seus lentos passos, estando preparado até para a corrida inesperada que ela pode dar, planejando também o seu futuro a longo prazo, até a fase adulta, diante dos objetivos e do sucesso que ela pode alcançar, nos estudos e profissionalmente, nas relações humanas e na sociedade. Assim é uma empresa, ela precisa de um Planejamento Estratégico para se estabelecer no mercado, e permanecer nele de forma consolidada.

Quem abre um negócio, lança um produto, ou uma marca, objetivando apenas “ganhar dinheiro” de imediato, sem se planejar, e sem investir em um estudo de mercado, enfrentará sérios problemas administrativos e financeiros, e se não falir, pode até se manter algum tempo ativo, mas sem estabilidade lucrativa e sem grandes projeções.

Portanto, identificar o público-alvo, definir o objetivo da empresa, trabalhar a imagem da marca, conhecer o comércio concorrente, entre outras ações, são fatores primordiais que podem garantir o sucesso de um negócio e a permanência dele no mercado. Mas nada disso poderá ser feito com eficácia se não houver o Planejamento Estratégico que operacionalize um conjunto de ferramentas estratégicas e um plano de marketing que vai organizar, gerenciar e promover a empresa, de acordo com as oportunidades mais favoráveis e promissoras.

Mariana Helena de Jesus                                                                                                                       Bacharel em Comunicação Social c/ habilitação em Publicidade e Propaganda.                     Poetisa e Escritora.

Share

Cuide de sua mente e de seu corpo em busca de um equilíbrio de vida.

Vivemos na era do imediatismo. Todas as soluções buscadas devem ser encontradas para o mais rápido possível. Quando falamos nisso, de imediato, nos vem à mente pessoas que a cada dia se tornam mais ansiosas, as preocupações excessivas passam a fazer parte do cotidiano, a pressa e a correria tornam-se companheiras de todos os momentos e conteúdos da vida.

Se surge um problema de saúde, busca-se o remédio que traga um resultado mais rápido. As pessoas se aventuram mais nas propagandas fáceis e nas indicações daquele amigo que “provou e deu certo”. Se quer emagrecer, recorrem a cirurgias de imediato ou a comprimidos que tragam algum efeito rápido, sem saber se quer suas reais conseqüências.

Lidar com as emoções adversas passou a ser uma grande dificuldade para as pessoas. A tristeza, por exemplo, passou a “não poder” mais fazer parte da vida das pessoas. E encontramos aí a “geração rivotril”.

Os sofrimentos tendem assim, a serem mais intensificados nas pessoas, pois, além do sofrimento de base, acrescenta-se a ele a cobrança de que não se pode mais sofrer.

Seria possível não mais sofrer?

Para a tristeza dessa geração, venho responder que não. O sofrimento faz parte do crescimento, amadurecimento das pessoas. Tristeza, raiva, nojo, angústia, são sentimentos válidos assim como a alegria ou o amor. Elas apenas são emoções mais desagradáveis de se sentir. Mesmo assim, é importante que se viva cada emoção e se aprenda a enfrentar cada uma delas.

É importante se permitir chorar quando necessário, viver a tristeza de uma perda ou de uma turbulência da vida. Por acreditarem que não podem sentir tais emoções, o termo depressão virou algo rotineiro na vida das pessoas. Depressão é uma patologia muito mais séria do que a tristeza em perder um ente querido, por exemplo.

E é diante desse imediatismo que vivemos que ao sentir emoções desagradáveis, as pessoas já recorrem ao remédio. Muitos casos remédios que um amigo indicou e que ele conseguiu pegar em uma farmácia que vende sem seus devidos cuidados. É ai onde mora o perigo.

Importante buscar ajuda de um profissional quando não se sabe lidar com tais emoções e assim, o profissional avaliando, verdadeiramente te orientará pelo melhor caminho.

Em alguns casos o auxilio medicamentoso é de extrema importância, até mesmo para trazer o sujeito a um equilíbrio capaz de se trabalhar em terapia suas questões mais internas. Em outros casos, o indicado é um acompanhamento psicoterápico.

Se você encontra-se em alguma situação que percebe necessitar de ajuda, busque a avaliação séria de um profissional.

Cuide de sua mente e de seu corpo em busca de um equilíbrio de vida.

Laíse Gomes Leal Novaes Cantarelli

Telefone: (81) 9.9673-3986 (TIM e whatsapp, facilitando seu contato); (81) 9.8618-7386 (Oi). E-mail: laiselealnovaes@gmail.com

Instagram: @laisenovaespsicologa Página do Facebook: @LaiseGomesLealNovaesCantarelli

Share

Trânsito, o que eu tenho haver com ele?

“Semáforo aponta a cor vermelha, pela regra o cidadão deveria parar e aguardar. Mas vem um ou outro e passa direto sem ao menos observar o que está no caminho”.

“Faixa de pedestre sinalizando passagem, carros e motos passam na mesma velocidade, tendo pessoas no aguardo ou não”.

Basta sair à rua para identificar as inúmeras ocorrências no dia a dia do trânsito. O que fazer diante tanta imprudência e falta de atenção? Essa é uma pergunta que muito preocupa profissionais nos dias atuais.

A cada ano são computados dados assustadores sobre acidentes no trânsito. Não podendo esquecer aqueles casos que “por sorte” passam ilesos, sem danos maiores.

Segundo dados divulgados pelo Governo do Estado de Pernambuco em abril desse ano (2017), consta-se, no estado de Pernambuco, “um gasto anual de mais de R$ 917 milhões com acidentes de trânsito, valor que daria para cuidar, por seis anos, dos pacientes com câncer no Estado ou manter o Hospital da Restauração em funcionamento por quatro anos”.

São números de fato assustadores, e quando vamos à campo e questionamos os motoristas infratores sobre a consciência de seus atos, verificamos que os mesmos tem conhecimento das leis.

O trânsito mata cada dia mais. E o que fazer para mudar essa realidade?

Um ponto essencial para tal pergunta é a conscientização das pessoas de que o trânsito é um ambiente importante de convívio social, que tem regras a serem cumpridas e que estas precisam ser cuidadosamente aplicadas.

Qual a razão de tantas regras no trânsito? Qual a necessidade de pararmos em uma faixa de pedestres e permitirmos a passagem do outro? Você já parou para pensar nessas e em tantas questões que envolvem o trânsito?

As mudanças de consciência humana precisam ser realizadas urgente. É importante que se busque iniciar essa mudança por sua própria residência. Importante que as pessoas comecem a se conscientizar, e conscientizar os seus próximos, sobre o nível de gravidade existente no dia a dia em um âmbito tão importante e tão banalizado pela população.

Conversem com seus familiares, amigos e vizinhos. Mostre ao próximo que esse ambiente de troca e de convívio humano necessita de cuidados e cumprimento de suas regras.

Outro ponto essencial é pensar na educação de base como prioridade para mudar e buscar melhorias na sociedade. Nunca é tarde para começar!

No Japão a educação de base já é utilizada e mostra resultados extremamente positivos. Os índices de acidentes caem a cada ano. Comparar com o exemplo do Japão não é estar longe da nossa realidade. É aprender a utilizar o exemplo positivo e buscar aplicar na prática.

Onde estaria essa educação base? Na educação de suas crianças, seja na escola e/ou em suas casas. Ensinar a respeitar regras, a compreender o limite que compete ao outro e a si. Uma educação de construção positiva na personalidade das pessoas, o trânsito é um ponto demonstrativo de como as pessoas lidam com limites e regras. É necessário buscar soluções com base na educação desde pequenos e essa é uma tarefa de todos.

Laíse Gomes Leal Novaes Cantarelli

Psicóloga Clínica e Hospitalar

Terapeuta Cognitivo-Comportamental

Especialização em Psicologia do Trânsito em andamento

CRP 02/15.901

Share