Classe artística de Bezerros e o silêncio diante das demandas

Lei que exigia pagamento de 50% antes da apresentação foi vetada pelo executivo municipal

Sob pedido de sigilo, músicos informaram à redação que ainda aguardam pagamentos de cachês referente ao carnaval 2019. Segundo a informação são 120 músicos de doze orquestras e algumas bandas que aguardam a liberação dos recursos. Não há uma informação quanto aos valores devidos, pois a maioria acumula algumas “tocadas” no carnaval. Uma apresentação de uma orquestra estaria no valor de dois mil reais. Em outros carnavais o município chegou a mencionar o investimento de 150 mil reais só com elas. Essa semana se desenhou uma mobilização entre os músicos objetivando chamar a atenção da prefeitura, mas a possibilidade da não contratação futura como forma de retaliação esvaziou o movimento.

A valorização da classe artística prevista nos 70% da grade dos eventos do município precisa ir além do espaço da apresentação. O Diário Oficial dos Municípios trouxe hoje exemplo claro do quanto o município precisa avançar nesse sentido. Uma banda gravataense, sucesso nos anos 2000, se apresentará no Polo Cultural por 40 mil reais, enquanto que uma atração em ascensão da cidade receberá 15 mil. Detalhe é que esse valor corresponde a três apresentações no município durante as festas juninas. Um projeto de lei aprovado pela Câmara de Vereadores exigia que o município pagasse 50% dos cachês aos artistas antes das apresentações, mas foi vetado pelo executivo municipal. A Câmara de Vereadores também não derrubou o veto e a classe artística e pessoas ligadas a cultura e o turismo no município ficaram caladas.

Share

Hoje tem forró no Irmã Júlia

Hoje tem forró no bairro da Irmã Júlia. O São João nos bairros promovido pela prefeitura aporta por lá a partir das 20h. O evento será animado pelas bandas Sonho Real e Balanço Tropical. O São João nos bairros seguirá para o bairro Santo Antônio no dia 12.

Share

Melhorando o aspecto visual

A equipe da Secretaria de Turismo e Cultura iniciou no sábado (11) a restauração de peças localizadas na Serra Negra.  O objetivo é concluir essa etapa e seguir em busca de outros pontos prioritários que necessitem de reparo. De acordo com a secretária executiva da pasta, Thais Souza, o trabalho está apenas começando. “Vamos buscar melhorar outros pontos, pois a comunicação visual é muito mais importante do que se imagina. Os turistas precisam sair daqui com vontade de voltar”, explicou. 

A iniciativa é louvável e nos remete a necessidade de melhorar o aspecto do Centro de Artesanato de Pernambuco em Bezerros. O prédio é gerido pelo Estado e carece há um bom tempo de uma nova pintura externa.


Share

Imprensa estadual destaca Ciel Santos

Quando ainda morava em Bezerros, Ciel realizou um show que serviu como termômetro para decidir se investiria ou não na carreira musical. “Aluguei o único clube da cidade e lotou. O dono do Manhattan Café Theatro, que fica no Recife, estava presente e me chamou para trabalhar lá”, recorda. O período na casa de shows da Zona Sul durou sete anos, ao mesmo tempo em que ele tinha aulas no Conservatório de Música. Em 2017, realizou o primeiro espetáculo do projeto Enraizado, no Espaço O Poste. A demanda para a gravação do álbum veio do próprio público naquela noite.
Disponível nas plataformas digitais, o disco é composto pelas canções autorais do show, duas delas feitas em parceria com Maurício César, que assina a direção musical. “Desde o começo, eu disse que queria apostar na cultura popular. Colocar coco, fechar os olhos e me sentir em uma roda. Colocar afoxé, ouvir e me sentir em um terreiro. A música que abre o disco se chama Licença, pois todos os brincantes da cultura popular pedem licença quando começam uma apresentação”.

O trabalho visual, com direção de Jota Gomes e fotos de Diego Cruz, traz o artista em uma estética que negocia o renascentismo com o Sertão, como uma nobreza sertaneja. Na capa, Ciel divide espaço com seus pais, irmãos e sobrinho. É, de fato, uma exaltação às raízes, menos no que diz às tradições conservadoras do interior. Continue lendo no Diário de Pernambuco



Arte, cultura popular e liberdade. Esses são os motes do espetáculo “Enraizado”, do cantor, ator, bailarino e compositor Ciel Santos, natural da zona rural de Bezerros, num vilarejo chamado Sacapurana, no Agreste Pernambucano. 

A noite do sábado (11) celebra o lançamento do seu primeiro disco, na Caixa Cultural do Recife. O álbum, gravado de forma independente, traz no repertório canções compostas para o espetáculo de mesmo nome, apresentado em agosto de 2017. Os ingressos custam a partir de R$ 15 e estão à venda na bilheteria da Caixa Cultural.

Dividido em dois atos com canções e textos autorais, Ciel traz a liberdade de ser e fazer o que quiser em todo o discurso do disco, e sempre ressaltando de onde veio. “‘Enraizado’ fala sobre as minhas raízes, dizendo que a árvore que eu sou hoje em dia tem muito a ver com o que eu aprendi quando era uma semente”, enfatiza Ciel. 

Continue lendo na Folha de Pernambuco

Share

Cultura bezerrense no palco de Passa e Fica

Os dois principais grupos de danças folclóricas de Bezerros estarão se apresentando, mais uma vez, no Festival de Cultura da cidade de Passa e Fica-RN, um evento que reúne grupos de várias cidades nordestinas e é considerado um festival dos mais importantes na região. O Papanguarte Balé Popular de Bezerros e o Grupo de Danças Folclóricas Folc Popular, já são bastante conhecidos em festivais culturais pelo Brasil afora levando a nossa cultura ao glamour e mostrando a história dos Papangus de Bezerros, principalmente.

O Papanguarte se apresenta pela sexta vez em Passa e Fica enquanto o Folc estará pela segunda vez no palco principal do festival.  Os grupos contam com mais de 50 bailarinos (as) que apresentarão os seguintes espetáculos: Papangus de Bezerros (Panguarte)  e o Folc Popular apresentará o espetáculo infantil, São João de Todos os Tempos, na sexta feira e Papandrilha no sábado. A cidade de Passa e Fica está a 101km de Natal e realiza o festival sempre na véspera das comemorações de sua emancipação política.

Share

Bezerrenses formam grupo de incentivo a leitura

Munidos do magno interesse de incentivo ao hábito da leitura, alguns bezerrenses formaram um pequeno grupo de leitores, e fundaram um grupo de leitura, denominando-o Centro Literário Ronaldo José Souto Maior, homenageando assim o pesquisador e historiador bezerrense mais laureado e autor de vários livros sobre a cidade dos papangus. O grupo foi idealizado pelo músico e maestro da Sociedade Banda Musical Cônego Alexandre Cavalcante, Hilton Souza e já conta com 07 membros, dentre eles o também músico Francisco Alves, o comunicador Lunas Costa Carvalho, o poeta e filosofo Célio Lima e o poeta cordelista Severino Pedro. Outros apreciadores de livros serão convidados para que o grupo possa atingir um máximo de 20 componentes.

As reuniões mensais tiveram início no mês de dezembro do ano passado,  e acontecem na Estação da Cultura, na cidade de Bezerros, sendo que a 4ª reunião ocorreu na residência do homenageado, nesta sexta feira, dia 26, quando o mesmo foi comunicado e agradeceu dizendo sentir-se lisonjeado. Na ocasião o gripo pode constatar alguns documentos no rico acervo do historiador Souto Maior, assim como livros que retratam de forma documentada e com alto teor de pesquisa, assuntos importantíssimos para a história bezerrense como a sua emancipação e a criação de ícones da nossa cultura, que se encontra decadente, a olhos vistos; outros assuntos em pauta foram a Banda Musical Cônego Alexandre Cavalcante e a atuação da imprensa bezerrense. Nas próximas reuniões o grupo espera contar com novos membros e assim definirem um calendário de atuações para que a leitura seja um hábito constante da nossa população.

Share

Reportagem Especial

Homens mascarados invadem o agreste pernambucano durante o carnaval. Não há motivo para susto. Diz a lenda que, quando surgiram, usavam disfarces para comer angu sem serem notados. Eram os “papangus”. Não é a única história a tentar explicar o surgimento dessas figuras, que, desde o século XIX, batem ponto na cidade de Bezerros, a cerca de uma hora e meia de Recife.

Na Estação da Cultura, espaço dedicado à história da cidade, é possível conhecer de perto essa manifestação típica do interior de Pernambuco. Há um museu, com vasto acervo de peças raras, livros e fotos, além de uma exposição permanente de fantasias e máscaras.

Outra atração é a Casa de Cultura Popular Lula Vassoureiro, onde estão as obras do artesão, um dos maiores criadores de máscaras de Pernambuco. Outro ponto fundamental é o Memorial J. Borges & Museu da Xilogravura, com diversas obras do artista que também batiza o local e é considerado um dos grandes mestres do cordel.

Mais perto de Recife, Nazaré da Mata é também uma viagem pela cultura do Estado. A cidade na Zona da Mata, a uma hora da capital do estado, é considerada o berço do maracatu rural. Sua maior expressão acontece, é claro, durante o Carnaval, quando centenas de pessoas invadem o pacato município. Mas vai além. Por lá, o negócio é mesmo sério. Há disputa anual de orquestras, lideradas por seus mestres, e cortejos, que são compostos por personagens como reis, rainhas, caboclos de lança e calungas, todos inspiradas na cultura africana.

No antigo matadouro da cidade, hoje funciona o Centro Cultural de Nazaré da Mata, que conta a história do maracatu rural. O acervo guarda fantasias típicas e explica as origens deste que é considerado o mais antigo ritmo afro-brasileiro. Restaurada, a própria construção que abriga o museu é uma atração à parte. É um prédio do século XVIII (sua fundação exata é desconhecida), que mantém as áreas de transporte, lavagem e corte da carne.

Outra escapadinha

Saindo de Nazaré da Mata e antes de voltar a Recife, vale outra parada. Mais um capítulo da cultura pernambucana pode ser apreciado em Tracunhaém. A pequena cidade é daquelas típicas do interior brasileiro, com uma praça, cercada por uma igreja católica e pequenas casas coloniais. Neste caso, as construções abrigam diversos ateliês de artistas pernambucanos, especializados em esculturas de barro. Dá para visitar muitos deles. Se não tiver tempo suficiente, a dica é conhecer um pouquinho de cada artista no Centro de Arte e Artesanato, que reúne as obras de todos.

Para encerrar a visita, a sugestão é conferir a Olaria Dantas, que produz utensílios domésticos, como copos e filtros de barro, além de fornecer matéria-prima para os artesãos.


Ler reportagem em O Tempo aqui
Share

Mostra de Cinema ao Ar Livre movimentou Serra Negra no fim de semana

Durante os dias 20 e 21 de abril, Serra Negra foi palco da segunda edição do Curta Na Serra – Mostra de Cinema ao Ar Livre. Em uma programação audiovisual exibida em telão no anfiteatro do Polo Cultural, o evento teve como objetivo oferecer cinema gratuito à população da região, com uma programação diversa de filmes independentes feitos no Nordeste.

A nova edição trouxe o recorte de curtas-metragens nordestinos, abraçando a pluralidade de linguagens audiovisuais produzidas na região, como ficção, documentário, videoclipe, entre outras. A curadoria foi feita pelos produtores Marlom Meirelles, Eva Jofilsan e Amanda Ramos.
Além da exibição dos filmes, houve programação musical, com shows e espetáculos culturais, como o Som na Rural e convidados, e homenagem à atriz e diretora paraibana, Marcélia Cartaxo, e ao bezerrense artesão e Patrimônio Vivo de Pernambuco, Lula Vassoureiro. O 2º Curta na Serra foi mais uma realização da produtora Eixo Audiovisual, com coprodução da Espiral Filmes, patrocínio da Prefeitura de Bezerros e incentivo da Fundarpe, Secretaria de Cultura e Governo de Pernambuco.

Share

Curta na Serra leva mostra de cinema ao ar livre para Serra Negra, em Bezerros

NE10 Interior

No Sábado de Aleluia e Domingo de Páscoa (20 e 21 de abril) o povoado de Serra Negra, a 9 km de Bezerros, no Agreste pernambucano, será palco da segunda edição do Curta Na Serra – Mostra de Cinema ao Ar Livre. O evento tem como objetivo oferecer cinema gratuito à população da região, com uma programação diversa de filmes independentes feitos no Nordeste, além de outras atividades e shows musicais.

A edição 2019 traz o recorte de curtas-metragens nordestinos, abraçando a pluralidade de linguagens audiovisuais produzidas na região, como ficção, documentário, videoclipe, entre outras. A curadoria foi feita pelos produtores Marlom Meirelles, Eva Jofilsan e Amanda Ramos, com foco em duas vertentes – 11 filmes no primeiro dia, trazendo a temática da arte como resistência social e política; e, no segundo, sete filmes que provocam reflexões sobre afeto e coletividade em tempos de ódio e intolerância.

O recorte de filmes perpassa temáticas como empoderamento feminino, a importância da arte para a construção da sociedade, a resistência da cultura e das boas tradições do Nordeste, além de respeito à diversidade sexual e de gênero. Ao todo, são cerca de 3h30 de programação audiovisual gratuita, exibida em telão ao ar livre no anfiteatro do Mirante de Serra Negra. A sessão do sábado começa às 19h, e a do domingo, às 18h.

A ação acontece como forma de incentivo para a produção audiovisual do Nordeste e para aproximar a Sétima Arte de uma localidade onde essa linguagem artística não chega. “O Curta Na Serra vem para trazer possibilidades ao público do Agreste de se informar e se emocionar com a telona, sobretudo com os filmes feitos no Nordeste”, detalha Marlom Meirelles, diretor da Eixo Audiovisual, produtora que realiza o evento

Share

Artesãos participam da Feira de Artesanato da Paixão em Fazenda Nova

NE10 Interior

Uma parada obrigatória para quem vai assistir o espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em Brejo da Madre de Deus, no Agreste de Pernambuco, é a “Feira de Artesanato da Paixão”.

Artesãos de várias cidades vão expor as obras em 15 stands montados pelo Sebrae, e passarão por uma capacitação para melhoria do acabamento dos produtos, além de cursos de gestão. Estarão expostos quadros de xilogravura, bonecos, brinquedos, entre outros objetos que valoriza a cultura do estado.

Além disto, expositores de Brejo da Madre de Deus, Pesqueira, Bezerros e Santa Cruz do Capibaribe estarão reunidos em 70 stands com gastronomia, comércio, serviços, indústria e artes para receber as quase 200 mil pessoas que visitam a cidade no período do espetáculo. A feira estará disponível durante todos os dias do espetáculo da Paixão de Cristo 2019, que será encenado até 20 de abril.

Share

Parceria com blogs entre os fatores responsáveis pelo aumento de público na estréia da Paixão de Cristo

O BEZERROS HOJE está no rol de sites e blogs na divulgação do Espetáculo da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém. Público de estreia da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém cresce 64%.

Compre o seu ingresso clicando no banner da promoção aqui no site Bezerros Hoje.

A temporada 2019 da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém começou no sábado (13) registrando um alta de 64% no número de expectadores. Foram 9.700 contra 5.900 na estreia do ano anterior. O espetáculo, realizado no município do Brejo da Madre de Deus (PE), vai até o próximo sábado dia 20 .

Os organizadores do evento atribuem essa ampliação significativa no público a redução do valor dos ingressos mais caros de R$ 140,00 para R$ 120,00 (meia-entrada R$ 60,00), intensificação das campanhas nas redes sociais e massificação da publicidade na TV.

“O País ainda sofre com as consequências da crise econômica enfrentada nos últimos anos, em razão disso, resolvemos reduzir o valor dos ingressos como forma de atrair o público”, afirma Robinson Pacheco, coordenador geral do espetáculo. Ele conta que, historicamente, o público da Paixão de Cristo sofre reflexos diretos da conjuntura econômica nacional. “A alta do público pode também está sinalizando que as coisas estão melhorando”, argumentou.

Procurando se adequar aos novos tempos nos quais as mídias socias ocupam lugar de destaque entre os meios de comunicação de massa, a Sociedade Teatral de Fazenda Nova ampliou seus investimentos na divulgação por meio de veículos como Instagram, Facebook, Whastapp e Blogs.

Para isso, não sou dinamizou as postagens em suas páginas e aumento os recursos investidos em impulsionamentos, como também lançou mão do prestígio de influenciadores digitais que possuem grande capacidade de penetração junto aos seus seguidores.

Como resultado disso, já na pesquisa de opinião realizada no primeiro dia, a participação do público que tomou conhecimento do espetáculo por meio da Internet cresceu de 3% para 15%. Outro reflexo disso é que aumentou de 5 para 8% a participação de pessoas vindas do Sudeste, região alcançada apenas pela Internet uma vez que a campanha publicitária convencional é feita no Norte e Nordeste por meio de 2.500 chamadas na TV, rádios e outdoors.

Além disso, este ano a Paixão de Cristo conta em seu elenco principal com artistas com número significativos de seguidores no Instagram como Juliano Cazarré (848 mil), Ricardo Tozzi (1,1 milhão) e Priscila Fantin (800 mil).

Share

FESTIVAL: Semana Santa de cinema nordestino gratuito no Agreste

O Curta Na Serra – Mostra de Cinema ao Ar Livre acontece nos dias 20 e 21 de abril, reunindo também shows e outras atividades culturais


Uma sala de cinema em uma das paisagens mais bonitas do Agreste pernambucano. Nesta Semana Santa, dias 20 e 21 de abril, o povoado de Serra Negra, há 9km de Bezerros, será palco da segunda edição do Curta Na Serra – Mostra de Cinema ao Ar Livre. O evento tem como objetivo oferecer cinema gratuito à população da região, com uma programação diversa de filmes independentes feitos no Nordeste, além de outras atividades e shows musicais.

A edição 2019 traz o recorte de curtas-metragens nordestinos, abraçando a pluralidade de linguagens audiovisuais produzidas na região, como ficção, documentário, videoclipe, entre outras. A curadoria foi feita pelos produtores Marlom Meirelles, Eva Jofilsan e Amanda Ramos, enfocando duas vertentes – 11 filmes no primeiro dia, trazendo a temática da arte como resistência social e política; e, no segundo, 7 filmes que provocam reflexões sobre afeto e coletividade em tempos de ódio e intolerância.

O recorte de filmes perpassa temáticas como empoderamento feminino, a importância da arte para a construção da sociedade, a resistência da cultura e das boas tradições do Nordeste, além de respeito à diversidade sexual e de gênero. Ao todo, são cerca de 3h30 de programação audiovisual gratuita, exibida em telão ao ar livre no anfiteatro do Mirante de Serra Negra. A sessão do sábado começa às 19h, e a do domingo às 18h.

A ação acontece de forma a incentivar a produção audiovisual do Nordeste e também aproximar a Sétima Arte de uma localidade onde essa linguagem artística não chega. “O Curta Na Serra vem para trazer possibilidades ao público do Agreste de se informar e se emocionar com a telona, sobretudo com os filmes feitos no Nordeste”, detalha Marlom Meirelles, diretor da Eixo Audiovisual, produtora que realiza o evento.

HOMENAGENS – Como de costume, o Curta Na Serra rende homenagens a artistas importantes, tanto da área do cinema quanto de outras áreas, contemplando pelo menos uma personalidade de Bezerros. No primeiro dia, a sessão de filmes começa com solenidade de abertura e uma homenagem à atriz Marcélia Cartaxo, paraibana que figurou em telenovelas e filmes nordestinos nas últimas décadas. No segundo dia, o artesão bezerrense Lula Vassoureiro, Patrimônio Vivo de Pernambuco, será agraciado por sua contribuição às artes plásticas, pela confecção de máscaras de papangu ao longo de sua vida.

SHOWS – O Curta Na Serra traz também apresentações ao Polo Cultural de Serra Negra, reverenciando projetos de música autoral pernambucana e também espetáculos cênicos. No sábado (20), após a sessão, a Som Na Rural recebe o projeto Corre-Campo, formado pelos artistas Marcello Rangel, Ágda Moura e Luiza Fittipaldi, com direito a festa com os DJs Clássico dos Clássicos posteriormente. No domingo (21), a programação começa à tarde: às 16h tem o espetáculo “Histórias da Caixola”, com contação de histórias por Alexandre Revorêdo e Stephany Metódio; às 16h30 é a vez do espetáculo “TrupeÇando”, do palhaço Allan Barros; às 17h, o Som Na Rural recebe show da caruaruense Gabi da Pele Preta.

ENCONTRO DO AUDIOVISUAL – A Casa das Flores será palco do Encontro do Panorama Nordeste, atividade paralela do II Curta Na Serra. Às 10h do domingo (21), um grupo formado por realizadores de filmes, mostras e festivais do Nordeste vai se encontrar para dialogar sobre o atual cenário de produção audiovisual da região, de forma a discutir entraves e potencialidades. Realizadores do Agreste também estarão presentes para intercâmbio de saberes, contemplando a realidade do cinema na localidade.

SOBRE O EVENTO – O Curta Na Serra – Mostra de Cinema ao Ar Livre é uma realização da produtora Eixo Audiovisual com coprodução da Espiral Filmes. A primeira edição do Curta Na Serra ocorreu em 2017 e mobilizou centenas de pessoas em torno das atividades promovidas, ajudando a aquecer o turismo cultural em Bezerros. A segunda edição ocorre com patrocínio da Prefeitura Municipal de Bezerros e incentivo da Fundarpe, Secretaria de Cultura e Governo de Pernambuco.

SERVIÇO:

II Curta Na Serra – Mostra de Cinema ao Ar Livre

Quando: sábado e domingo, 20 e 21 de abril de 2019

Onde: Serra Negra – Bezerros/PE

Gratuito

Programação:

SÁBADO, 20 DE ABRIL:

Panorama 1: Nossa Arma é o Cinema – Mirante de Serra Negra, 19h.

·        Cerimônia de abertura;

·        Homenagem a Marcélia Cartaxo;

·        Exibição de filmes:

Ultravioleta (PB)

O Poeta do Barro Vermelho (AL)

Julian, Sem A, Sem O (PB)

Tempo Circular (PE)

Não Te Quero Mais Mizéra (PE)

Desyrrê (PE)

Impávido Colosso (PE)

Eu o Declaro Meu Inimigo (PE)

Quanto Craude no Meu Sovaco (PE)

Avalanche (AL)

Revólver (PE)

Shows – Polo Cultural de Serra Negra, 22h.

Som Na Rural recebe o projeto Corre-Campo: Marcello Rangel, Ágda Moura e Luiza Fittipaldi + Festa com os DJs Clássico dos Clássicos.

DOMINGO, 21 DE ABRIL:

Encontro do Panorama Nordeste – Casa das Flores, 10h.

DOMINGO, 21 DE ABRIL:

Encontro do Panorama Nordeste – Casa das Flores, 10h.

Shows e Espetáculos – Polo Cultural de Serra Negra, 16h.

· Histórias da Caixola – Contação de histórias com Alexandre Revoredo e Stephany Metódio;

·   Espetáculo TrupeÇando, com o palhaço Allan Barros;

·   Som Na Rural recebe Gabi da Pele Preta.

Panorama 2: Segura Minha Mão – Mirante de Serra Negra, 18h.

·  Homenagem a Lula Vassoureiro;

· Exibição de filmes:

Família Tropa Trupe – O Circo Enquanto Vida (RN)

Guaxuma (PE)

Nova Iorque (PE)

Clandestino (SE)

Terra (PE)

O Som do Silêncio (BA)

Bala Perdida (PE)

Share

Artesanato de Bezerros estará em feira de Fazenda Nova

Como todos os anos, a Paixão de Cristo em Nova Jerusalém atrai milhares de turistas. Um dos eventos mais importantes de Pernambuco que gira a economia também do artesanato local. Esse ano, a Associação dos Artesão de Bezerros estará mais uma vez presente.

José Pedro Soares é presidente da Associação e há mais de cinco anos participa da feira de artesanato que acontece em Fazenda Nova. Ele ficará em um stande com trabalhos de vários artesãos associados e terá para vender quadros de xilogravura, bonecas, brinquedos, entre outros. Ele disse que o movimento de vendas é muito bom, mas que o apoio do Sebrae é fundamental: “Se não fosse o Sebrae a gente não tinha como participar de uma feira dessas não”.

O Sebrae está apoiando artesãos dos municípios de Caruaru, Brejo da Madre de Deus, Pesqueira, Bezerros e Santa Cruz do Capibaribe no Agreste que vão levar renda renascença, sandálias de couro, mel e derivados, caricatura, papel machê e pintura em tela. A feira também terá expositores de Recife e Goiana.

A Feira da Paixão de Cristo de Nova Jerusalém acontece de 13 a 20 de abril, das 14h às 22h.

Bezerros Agora

Share