Culto ecumênico abre Semana Municipal do Ciclista

Instituída por lei municipal, a Semana Municipal do Ciclista, teve início nesta segunda feira, dia 19, com a realização de um culto ecumênico que ocorreu nas dependências da Adoleta Diversões, com participação do Padre Bianchi Xavier (Igreja Católica), Pastor Elias J. Silva (Assembleia de Deus) e Francisco de Assis Salvador (Centro Apolo), que falaram do amor ao próximo, tema proposto pela organização. Na Semana Municipal do Ciclista serão ministradas palestras em escolas públicas e o encerramento será no próximo domingo, dia 25 com a realização do I Passeio Ciclístico de Bezerros.

O I Passeio Ciclístico de Bezerros é promovido pela Prefeitura de Bezerros, através da Secretaria Municipal de Esporte e Juventude, com o apoio da Câmara de Vereadores e do grupo de ciclistas Pedal Noturno;  a concentração será no BNB Clube, com um café da manhã as 06hs e saída as 08hs. Os ciclistas percorrerão 32km, sendo 4km na zona urbana e 28km na zona rural do município até a chegada no mesmo local da saída. A estimativa da organização é que mais de mil ciclistas de toda região estarão em Bezerros, e também estão confirmadas presenças de ciclistas de outros estados do Nordeste, que doarão 1Kg de alimentos não perecíveis, a serem distribuídos posteriormente nas comunidades carentes de Bezerros.

Share

Falecimento

Registramos o falecimento de Josefa Torres de Lima, 71 anos, mãe da nossa colaboradora Luciana Torres e da ex-secretária de Educação de Bezerros Ladjane Torres. O enterro nesta quarta-feira (14), às 15h, no cemitério Santo Amaro. Os nossos sentimentos a toda família ilutada.

Share

Cantor pernambucano sofreu rompimento de um aneurisma

O cantor Almir Rouche, famoso pelos carnavais, 50 anos 30 de carreira,  está internado no Hospital Santa Joana. Ele começou a se sentir mal ontem a noite e foi levado às pressas para a emergência da unidade hospitalar. Artista chegou ao Hospital Santa Joana na madrugada desta terça (23) e passou por cirurgia, por causa do rompimento de um aneurisma. O estado de Saúde é estável.

Do G1

Share

Rapaz desaparecido em Bezerros

A família de Gabriel Dias Vasconcelos Camilo Lima, 24 anos, visto pela última vez próximo ao hospital Jesus Pequenino. Gabriel reside no bairro São Pedro e saiu de casa sem dá detalhes do seu destino. Com informações das redes sociais e do site PE Notícias.

》》》 Um tio do rapaz informou à redação neste início de noite que o rapaz foi encontrado em Bezerros. Ele, que sofre de esquizofrenia, chegou a ser visto pela manhã em Belo Jardim.

Share

Nota de falecimento

Roque Brito, sogro do jovem Natan do projeto Bem estar Bezerros, sofre infarto e morre. Ele era pedreiro de profissão e trabalhou por muitos anos nas construções da família de Luciano Rufino. Os familiares aguardam o translado do corpo do estado da Bahia onde visitava familuares.

Share

É boataria!

Felizmente não procede as especuladores de falecimento do Sr. Biu do Sindicato. A redação apurou que o mesmo está bem e que se encontra em sua residência. A boataria toma conta dos grupos de Whatsapp.

Share

Bezerrense ganha bolsa de estudo e faz ‘vaquinha’ para estudar na Hungria

Me chamo Fausto Macgyver e me formei em Química Industrial pela UFPB em Dezembro de 2018. Agora em Junho de 2019 fui aprovado para o mestrado em Engenharia Química na Hungria através de um programa do governo Húngaro de bolsas de estudo. Contudo, essa bolsa não contempla a passagem e só começa a ser paga 2 meses depois de começar os estudos. Dessa forma, conto com a ajuda de vocês!

Chegou à redação uma daquelas histórias que vale apena apostar no sonho das pessoas. Sim, um bezerrense que ir além das fronteiras para vencer na vida!!! O mais difícil ele já alcancou, que é a bolsa de estudo em outro país. Agora a outra parte é com a gente que torce para que a vida do Fausto Macgyver seja mais uma história inspiradora para tantos jovens.

Olá, tudo bem? Como já disse aí em cima, meu nome é Fausto Macgyver Wanderley Gouveia Silva. Tenho agora 22 anos e fui nascido e criado no interior de Pernambuco (Bezerros e Gravatá, respectivamente), onde vivi até completar 16 anos quando fui estudar Química Industrial na Universidade Federal da Paraíba. Eu era muito novo, mas sempre gostei muito de estudar e minha mente era muito voltada para a minha formação acadêmica e profissional, por isso a época de universidade foi de grande evolução e conhecimento pessoal, além de técnico também.

Ademais das experiências adquiridas que acabaram me moldando como pessoa – viver fora da casa dos pais te ensina muito! -, sempre fui envolvido em diversas atividades acadêmicas (até porque sempre necessitei de auxílios e também da ajuda dos meus pais para me manter na cidade) como 1 ano e meio de iniciação científica, 1 ano de tutoria, 1 ano de monitoria e também 1 ano e meio de estágio, além de projetos voltados para a área de educação da Química através de Jogos. Recentemente, tive também a chance de fazer um intercâmbio curto de cerca de 1 mês e meio para a Argentina por meio da organização AIESEC para trabalhar voluntariamente em uma ONG com projetos de educação onde também apliquei os jogos que adapto (no ensino de outras matérias). E eu não gostaria de parar por aí!

Veja toda história e contribua aqui!!!

Share

Comitiva para doação de sangue

Doze pessoas saíram de Bezerros para Recife nesta manhã de quinta-feira para doar sangue no Hemato dm nome do Sr. José Alexandrino, que se submeteu a um transplante de medula. O senhor Alexandrino é conhecido como Lalai da galinha, esposo de Gel. Registramos a bondade dessas pessoas para que seja mais um incentivo para outros doadores.

Share

Documentos encontrados

Foram encontrados em Bezerros os documentos de Alfredo Honório da Silva Filho. Identidade, CNH, e CLRV de um veículo motocicleta. A identidade foi emitida pelo o Estado das Alagoas e o CLRV pelo DETRAN- Caruaru. Informação falar com a redação 81 9- 96136528.

Share

Edvaldo Bernardo da Silva procura parentes em Bezerros

Recebemos mensagem de Marcelo Rezende Cardoso, que é radialista da cidade de Batatais, na Região de Ribeirão Preto no Estado de São Paulo.
Ele tenta ajudar o senhor Edvaldo Bernardo da Silva, que é natural de Bezerros, mas mora em Batatais há mais de 30 anos. Ele foi para São Paulo com o irmão, José Bernardo da Silva, que não se adaptou e resolveu voltar deixando Edvaldo lá.
Edvaldo tem 58 anos e mora sozinho. Ele é filho de D. Cecília Ana dos Santos e irmão de José, Cícero, Adriano, Noêmia, Valdirene, Rita e Helena. Edvaldo disse que seu irmão José Bernardo da Silva é bastante conhecido em Bezerros.
Quem tiver informações, pode entrar em contato com uma moça que está ajudando Ednaldo, ela se chama Custódia e o telefone é: (16) 9.9227 6094

Nome: Marcelo Rezende Cardoso
E-mail: marcelo_r_cardoso@hotmail.com

Share

Redes sociais repercutem morte de jovem de 19 anos

As redes sociais repercutem a morte prematura de uma jovem de 19 anos, que teria sido vítima de infarto nesta noite deste sábado (27). Os pais da jovem, que residem no bairro do Cruzeiro, são bastante conhecidos em Bezerros. A família pediu a redação, que retirou a imagem da jovem que circula nos grupos de Whatsapp, para não da publicidade uma vez que a sua mãe e sua avó materna ainda ainda não tiveram a fatídica informação. Os pedidos foram prontamente atendidos.

LEIA:Infarto em jovens é mais comum do que se imagina

Share

Emocionante documentário da TV Jornal sobre o jovem Renan Silva

Elessandra Melo*
TV Jornal Interior

28 de outubro de 2018: Renan da Silva Melo saía de Bezerros, no Agreste de Pernambuco, onde morava, para trabalhar em Caruaru como garçom. Depois do expediente, ele resolveu não voltar para casa e aceitou o convite dos amigos. O grupo foi para a Rua da Má Fama, no centro de Caruaru, conhecida pelos restaurantes e bares. Por volta das 4h, uma briga entre jovens terminou com um tiroteio próximo do local onde estavam Renan e os amigos. Os alvos eram quatro adolescentes que estavam envolvidos na confusão. Mas Renan acabou ficando no meio da linha de tiro e foi atingido no peito. Ele morreu na hora.

Nós estivemos em Bezerros para conversar com a mãe e a irmã de Renan, na casa onde ele morava. Com carinho, elas guardam algumas fotos e duas roupas dos grupos de dança que ele fazia parte. “Foi a última imagem que eu vi dele. Ele dançando, que era o sonho dele, né. Ele trabalhava de garçom porque não tem oportunidade. Mas o sonho dele mesmo era a dança. De ter uma academia, que era o que ele sempre conversava”, relembra Edilene Maria, irmã do jovem.

Apaixonado por dança, com o sonho de ser professor. Esse era Renan, que teve a vida e os planos interrompidos pela violência. Dona Edileuza, mãe de Renan, lembra como se fosse hoje o dia que ela recebeu a notícia da morte do filho. “Minha filha foi lá em casa [para contar]. Pensei que eles que iam me enterrar, né?”, lamenta.

Além da mãe e da irmã, a morte de Renan é sentida pelo amigo de infância. Para Cláudio França, nada conseguirá preencher o vazio. Por alguns instantes, ele se negou a acreditar que fosse verdade. “Eu vi o nome, vi a imagem ainda passando, mas eu não quis acreditar. Quando eu cheguei aqui, a primeira vez que vi o caixão, eu não aguentei”, conta, entre lágrimas. “A última vez que eu vesti a roupa do grupo da gente foi pra gente dançar, e eu vesti ela de novo no enterro dele. Foi muito difícil”.

Viver o luto, ter um tempo para chorar a partida de alguém é natural. Porém, quando a morte acontece de forma repentina, o sofrimento pode ser prolongado e cada pessoa tem uma forma de reagir ao impacto de ter alguém retirado do convívio diário para sempre. “Vai ser um momento de muita negação, de choque, de falta de contato com essa realidade. Aquela sensação de que está sonhando e vai acordar a qualquer momento com a pessoa de volta. Não raro acomete a pessoa de muita culpa: ‘Eu não deveria ter deixado sair, eu não deveria ter permitido que ela ou ele fosse para algum lugar. Aconteceu porque eu não impedi’. Em algum momento, aquela pessoa que morre é internalizada e a pessoa dá conta de viver sua vida naturalmente. O luto tem um tempo”, explica a psicóloga e terapeuta do luto Sandra Moura.

8 de março de 2019: Polícia prende autores do crime

“O seu executor praticamente mirou no seu peito e o executou sem qualquer forma de defesa, apresentando claramente sua índole má e sempre afeto à prática de crimes. Isso é um pesar muito grande, porque foi um jovem que se foi, mais um jovem que a sociedade perdeu. Um jovem trabalhador que se foi de uma forma tão vil”, contou o delegado Anderson Liberato.

4 de abril de 2019: Voltamos à casa da família de Renan.

Quatro meses depois do crime, a polícia conseguiu finalmente identificar e prender os envolvidos na morte de Renan. Perguntada se está com o coração mais sossegado, a mãe respondeu: “Está mais aliviado agora, mas não traz mais a vida dele, acabou. Mas para mim, ele está sempre perto de mim”. Para a irmã, o trabalho da polícia foi fundamental: “Um alívio, hoje em dia quando acontece algum crime é muito difícil prender, achar, porque são vários, todo dia se mata alguém”.

* Produção de Elton Braytnner

Share