Kátia Abreu sugere que Haddad renuncie e Ciro o substitua contra Bolsonaro

A senadora Kátia Abreu (PDT-TO) defendeu, nesta quarta-feira, 10, que o candidato do PT Fernando Haddad renuncie à campanha presidencial nas eleições 2018 “em nome da democracia”.

O objetivo de sua proposta é que o petista, ao abrir mão da disputa, abra espaço para que Ciro Gomes (PDT) seja o adversário de Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno.

“Eu não estranharia e acharia muito digno se por acaso ele (Haddad) desistisse da candidatura vendo que pode entregar o País a um fascismo religioso”, afirmou, referindo-se a Bolsonaro. “A lei é clara. Se ele renunciar à sua candidatura, Ciro Gomes é o candidato. E é o único capaz de vencer Bolsonaro”, justificou.

A proposta de Kátia Abreu se baseia no artigo 77 da Constituição Federal, que no inciso 4º diz que “se, antes de realizado o segundo turno, ocorrer morte, desistência ou impedimento legal de candidato, convocar-se-á, dentre os remanescentes, o de maior votação”.

Kátia Abreu disse também que não fará campanha para Haddad, apesar da decisão do partido de optar pelo “apoio crítico”. “PDT só deu apoio crítico ao PT para não dar uma de Pôncio Pilatos, para não lavar as mãos diante da ameaça e fascismo que a outra candidatura representa. O PT que tinha uma causa lá atrás não existe mais, não vale a pena defender.” A senadora afirmou ainda irá votar em “branco” ou “nulo” em 28 de outubro.

Share

Bolsonaro, 54%; Haddad, 46%, diz Big Data

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, tem 54 por cento dos votos válidos no segundo turno da eleição presidencial, contra 46 por cento do petista Fernando Haddad, apontou pesquisa do instituto Ideia Big Data para a revista Veja divulgada nesta quarta-feira.O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, tem 54 por cento dos votos válidos no segundo turno da eleição presidencial, contra 46 por cento do petista Fernando Haddad, apontou pesquisa do instituto Ideia Big Data para a revista Veja divulgada nesta quarta-feira.De acordo com o levantamento, quando considerados os votos totais, Bolsonaro aparece com 48 por cento da preferência do eleitorado, contra 41 por cento de Haddad.

Share

Constituição é redescoberta por Bolsonaro e Haddad

Nas suas primeiras manifestações públicas como rivais no segundo turno da corrida presidencial, Jair Bolsonaro e Fernando Haddad se esforçaram para retirar o que há de mais tóxico nas suas respectivas candidaturas. Ambos se comprometeram a respeitar a Constituição. Bolsonaro chegou mesmo a dizer que será “escravo” do texto constitucional.

A notícia é alvissareira por um lado e desalentadora por outro. Anima porque é sempre bom saber que o próximo presidente da República, seja quem for, não rasgará a Constituição. Desanima porque isso deveria ser uma obviedade. Deixou de ser porque o vice de Bolsonaro, general Mourão, defendeu o autogolpe e a feitura de uma nova Constituição por uma comissão de notáveis. E o programa do PT incluiu a convocação de uma nova Constituinte.

Bolsonaro desautorizou o vice, tachando sua manifestação de “canelada”. Disse que falta “tato e vivência política” ao general. Cabe perguntar: e quanto à falta de tato de alguém que escolhe um personagem tão precário para vice?

Haddad disse que reviu sua posição sobre a Constituinte. Ótimo. Mas o programa do PT foi feito agora, sob a coordenação do próprio Haddad. Mudou por convicção ou por conveniência?

Nesse mano a mano do segundo turno, o eleitor deve se ligar nos detalhes se não quiser confundir um certo candidato com o candidato certo.

Josias de Souza

Share

Bolsonaro e Haddad decidirão eleição para presidente no 2º turno

Os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) decidirão no segundo turno quem será o presidente do Brasil pelos próximos quatro anos, segundo os dados de apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgados na noite de hoje.

Esta é a oitava eleição presidencial por meio do voto direto desde a redemocratização, no fim da década de 1980. O vencedor governará o Brasil de 1º de janeiro 2019 a 31 de dezembro de 2022.

O resultado do primeiro turno quebrou a polarização entre PT e PSDB na eleição presidencial. Nas últimas seis eleições, os dois primeiros colocados foram dos dois partidos, e houve duas vitórias do PSDB (1994 e 1998) e quatro do PT (2002, 2006, 2010 e 2014).

Share

Acaba o prazo para divulgação de propaganda eleitoral

Agencia Brasil

Pelo calendário eleitoral, hoje, dois dias antes da eleição, é o último dia para a divulgação de propaganda eleitoral paga na imprensa escrita e reprodução na internet e jornal impresso. A regra está prevista no artigo 43 da Lei 9.504/1997.

Amanhã, véspera do pleito, é o último dia para a propaganda eleitoral com alto-falantes ou amplificadores de som, feita das 8 às 22 horas.

Também nesse dia, às 22 horas, acaba o prazo para a distribuição de material gráfico e a promoção de caminhadas, carreatas, passeatas ou carros de som que transitem pela cidade divulgando jingles ou mensagens de candidato.

Rádio de TV

No rádio e na TV, ontem foi último dia da propaganda eleitoral gratuita do primeiro turno das eleições.

A propaganda eleitoral começou no dia 16 de agosto e só será retomada, para o segundo turno, no dia 12 de outubro, primeira sexta-feira após o primeiro turno das eleições. Comícios e debates no rádio e na TV também não poderão ocorrer.

As datas são fixadas pela Lei Eleitoral e foram alteradas em 2015. Antes da mudança, a propaganda eleitoral gratuita podia começar no dia 6 de julho, ou seja, 41 dias antes do prazo atual.

Do Blog do Magno

Share

BEZERRENSE CANDIDATO A ESTADUAL POR SÃO PAULO SE UNE A GABEIRA EM CAMPANHA ‘LÁ E CÁ’

O bezerrense Nerivan Silva (PPS), 50 anos, locutor e e apresentador de Televisão, concorre nestas eleições ao cargo de Deputado Estadual em São Paulo. Em vídeo publicado nas redes sociais do vereador e candidato a estadual Gabeira (PP), Nerivan também apela pelos votos dos bezerrenses que votam no Estado de São Paulo e aproveita para também recomendar voto no conterrâneo candidato em Pernambuco. Quem reforçou o recado foi a dupla Caju e Castanha. Ver vídeo baixo:

Share

Pesquisa Datafolha para presidente: Bolsonaro, 28%; Haddad, 22%; Ciro, 11%; Alckmin, 10%; Marina, 5%

João Amoêdo (Novo) tem 3%; Henrique Meirelles (MDB) e Alvaro Dias (Podemos) têm 2% cada um; Cabo Daciolo (Patriota), Vera (PSTU) e Guilherme Boulos (PSOL), 1% cada; João Goulart Filho (PPL) e Eymael (DC) não pontuaram.

O Datafolha divulgou nesta sexta-feira (28) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 9 mil eleitores entre quarta-feira (26) e sexta-feira (28).

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

Veja no G1 AQUI

Share

Ibope/CNI: Bolsonaro tem 27%, Haddad, 21%; Ciro, 12%; Alckmin, 8%

Pesquisa Ibope contratada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta quarta-feira mostra o candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, na liderança com 27% das intenções de voto. Em segundo lugar, está Fernando Haddad (PT), com 21%; seguido por Ciro Gomes (PDT), com 12%; e Geraldo Alckmin, com 8%. Marina Silva (Rede) tem 6%.

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas nos dias 22, 23 e 24 de setembro, em 126 municípios. Na última segunda-feira, o mesmo instituto divulgou uma outra pesquisa, contratada pela TV Globo, em que 2.506 pessoas foram ouvidas entre os dias 22 e 23 de setembro. Houve pouca variação: Bolsonaro oscilou um ponto para baixo, assim como Haddad, enquanto Ciro oscilou um para cima, e Alckmin continuou no mesmo patamar.

Assim como na pesquisa divulgada na segunda-feira, numa simulação de segundo turno Bolsonaro perde para os principais candidatos, menos para Marina Silva. Num eventual cenário contra Haddad, ele fica com 38% contra 42% do petista.

Nesta pesquisa, Marina oscilou de 5% para 6% das intenções de voto, João Amoêdo (Novo) manteve 3%, Álvaro Dias (Podemos) manteve 2%, assim como Henrique Meirelles, e não sabem ou não responderam 7% dos entrevistados. Vera Lúcia (PSTU), Eymael (DC), Cabo Daciolo (Patriota) João Goulart Filho (PPL) não pontuaram.

A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%. O novo levantamento foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número BR-04669/2018.

O Ibope também mediu a taxa de rejeição dos candidatos. Quando perguntados em quem não votaria de jeito nenhum, 44% apontaram Jair Bolsonaro. Fernando Haddad tem 27% de rejeição, o mesmo patamar de Marina Silva. A rejeição dos outros candidatos foi: Alckmin, 19%; Ciro Gomes, 16%; Cabo Daciolo, 11%; Meirelles, 11%; Eymael, 10%; Álvaro Dias, 9%; Guilherme Boulos, 9%; Vera Lúcia, 9%; João Amoêdo, 8% e João Goulart Filho, 7%. Poderiam votar em todos 2% dos entrevistados; e não sabem ou não responderam 7%.

SEGUNDO TURNO

O Ibope ainda fez quatro simulações de segundo turno, todas com a presença de Jair Bolsonaro. O candidato do PSL só venceria numericamente Marina Silva.

Na disputa entre Fernando Haddad e Jair Bolsonaro, o petista tem 42% das intenções de voto, contra 38% do candidato do PSL. Dos entrevistados, 16% disseram votar em branco ou nulo nesta hipótese e não sabem ou não responderam 4%.

Na disputa entre Bolsonaro e Marina Silva, o candidato do PSL tem 40%, contra 38% da ex-ministra. Brancos e nulos somariam 19% e 3% não sabem ou não responderam.

O Globo

Share

IBOPE: Bolsonaro 28%; Haddad 22%; Ciro 11% e Alckimim 8%

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 28%
  • Fernando Haddad (PT): 22%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 8%
  • Marina Silva (Rede): 5%
  • João Amoêdo (Novo): 3%
  • Alvaro Dias (Podemos): 2%
  • Henrique Meirelles (MDB): 2%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 1%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 0%
  • Vera Lúcia (PSTU): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 12%
  • Não sabe/não respondeu: 6%
  • VEJA mais dados e simulação de segundo turno no G1
Share

Datafolha: Bolsonaro 28%; Haddad, 16%; Ciro, 13%

Haddad mantém trajetória de alta, mas segue tecnicamente empatado com Ciro

Ricardo Balthazar – Folha de S.Paulo

Afastado da campanha nas ruas há duas semanas, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) manteve a liderança da corrida presidencial, de acordo com uma nova pesquisa feita pelo Datafolha.

Conforme o levantamento, concluído nesta quarta (19), o capitão reformado do Exército oscilou dois pontos para cima e alcançou 28% das intenções de voto, mantendo a trajetória de crescimento observada desde o início da campanha.

O ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que cresce desde sua confirmação como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida, atingiu 16% das preferências, três pontos a mais do que na semana passada.

O candidato petista continua tecnicamente empatado com Ciro Gomes(PDT), que ficou estagnado, com 13%.

O instituto entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça e na quarta (19). A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa foi contratada pela Folha e pela TV Globo.

As menções espontâneas a Bolsonaro também cresceram nos últimos dias, assim como as citações a Haddad.

Bolsonaro cresceu no Sudeste, Norte e Sul, onde atingiu sua melhor marca (37%), e ganhou pontos entre jovens e até entre mulheres, apesar da grande rejeição no segmento.

O petista cresceu no Sudeste e no Nordeste —onde alcança a melhor pontuação (26%) e única região em que está à frente de Bolsonaro.

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem quase metade do tempo de TV, está estagnado na pesquisa, com 9%.

O tucano aparece empatado com Marina Silva (Rede), que agora soma 7% das preferências, menos da metade do que tinha no início da campanha.

As simulações do Datafolha para segundo turno mostram que Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais.

Ele bateria Bolsonaro com 45% das intenções, vantagem de 6 pontos sobre o capitão. Nos outros cenários, Bolsonaro empata com Haddad, Alckmin e Marina.

A rejeição a Bolsonaro continua alta, e a de Haddad cresceu. Segundo a pesquisa, 43% dos eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no capitão e 29% rejeitam o petista.

Os eleitores de Bolsonaro e Haddad são os mais convictos. Apenas um de cada quatro apoiadores dos candidatos admite escolher outro nome.

No conjunto do eleitorado, 40% dizem que podem mudar o voto. Entre eles, 15% indicam Ciro como segunda opção, 13% apontam Marina, 12% optam por Haddad e Alckmin e 11% indicam Bolsonaro.

Os eleitores de Ciro, Alckmin e Marina são os menos decididos. Mais da metade admite escolher outro candidato, e muitos têm trocado de camisa nas últimas semanas.

O instituto também perguntou aos entrevistados se sabem o número de seu candidato. Responderam corretamente 48%, e 42% não souberam dizer o número certo.

Folha de S. Paulo

Share

IBOPE: SEGUNDO TURNO ENTRE BOLSONARO E HADADD

Do G1

O Ibope divulgou, hoje, o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre domingo e hoje.

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 28%
  • Fernando Haddad (PT): 19%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
  • Marina Silva (Rede): 6%
  • Alvaro Dias (Podemos): 2%
  • João Amoêdo (Novo): 2%
  • Henrique Meirelles (MDB): 2%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1%
  • Vera Lúcia (PSTU): 0%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 14%
  • Não sabe/não respondeu: 7%

Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado na terça-feira (11):

  • Jair Bolsonaro oscilou positivamente dois pontos, indo de 26% para 28%;
  • Haddad cresceu 11 pontos percentuais, passando de 8% para 19%;
  • Ciro manteve os mesmos 11%;
  • Alckmin oscilou negativamente, indo de 9% para 7%;
  • Marina foi de 9% para 6%;
  • Os indecisos se mantiveram em 7% e os brancos ou nulos caíram de 19% para 14%.

Rejeição

O Instituto também perguntou: “Dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o (a) sr. (a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?”.

Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Os resultados foram:

  • Bolsonaro: 42%
  • Haddad: 29%
  • Marina: 26%
  • Alckmin: 20%
  • Ciro: 19%
  • Meirelles: 12%
  • Cabo Daciolo: 11%
  • Eymael: 11%
  • Boulos: 10%
  • Alvaro Dias: 10%
  • Vera: 9%
  • Amoêdo: 9%
  • João Goulart Filho: 8%
  • Poderia votar em todos: 2%
  • Não sabe/não respondeu: 9%

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 2.506 eleitores em 177 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 16 e 18 de setembro
  • Registro no TSE: BR-09678/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e “O Estado de S.Paulo”
Share