Diretor do Bezerros Hoje em documentário do Alceu Valença

A produtora TVZero do estado do Rio de Janeiro está produzindo um documentário sobre a vida do cantor Alceu Valença e solicitou auxílio da TV Imprensa para a autorização de imagens de uma entrevista concedida ao diretor do Bezerros Hoje, Flávio Melo, durante o carnaval de 2018. A autorização foi prontamente concedida. “É uma honra poder fazer parte deste documentário. Sou um fiel adimirador das canções do artista e isso, na verdade, é um verdadeiro privilégio para mim”, descreveu em suas redes sociais. A produtora não soube informar quando será lançado o documentário.

Registro de encontro de Flávio Melo e Alceu Valença em Bezerros, janeiro de 2009.

Share

Mais um bezerrense toma posse como Defensor Geral

A solenidade de posse do defensor público-geral no Tocantins, Fábio Monteiro dos Santos, para o biênio 2019/2021, foi realizada na segunda-feira, 4, na sede da Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE

Bezerrense enalteceu sua cidade natal em discurso de posse

Em seu discurso de posse, Fábio Monteiro enalteceu Bezerros, a sua cidade natal, destacando o seu grandioso carnaval. Ver no video acima.

Fábio Monteiro foi eleito em novembro do ano passado com 95,2% dos votos dos membros da Instituição. Ele é bacharel em Direito pela Universidade do Tocantins (Unitins). Especialista em Direito Civil, Processo Civil pela Universidade Estácio de Sá. Tomou posse como defensor público do Estado do Tocantins em 2007. Foi diretor do Núcleo Regional da Defensoria Pública de Araguaína e membro do Conselho Superior da Defensoria Pública por um biênio. Foi eleito presidente da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Tocantins (Adpeto), para o biênio 2013/2015. Eleito pela segunda vez membro do Conselho Superior da Defensoria Pública 2015/2017. No biênio 2017/2019, foi superintendente dos Defensores Públicos. Leia mais sobre a posse aqui

Outro bezerrense também ocupa o cargo de tamanha relevância em Pernambuco. José Fabrício tomou posse em agosto do ano passado e responde pela Defensoria Geral do Estado. VER AQUI

Share

Família de Bezerros é atingida pela tragédia de Brumadinho/MG

O engenheiro natural do estado de São Paulo Marcelo Alves de Oliveira, 46 anos, foi uma das vítimas do estouramento da barragem de rejeitos de minérios no município de Brumadinho-MG há uma semana. Até o momento, o número de mortos vai a 121 e de desaparecidos a 226, dizem bombeiros.

Marcelo foi morar com a esposa há alguns meses em Minas Gerais e trabalhava numa empresa terceirizada da Vale. O corpo foi encontrado no sábado (26) reconhecido através da digital e enviado na segunda (28) para São Paulo.

O pai do engenheiro morto na tragédia é natural de Bezerros. Seu Neco, como é conhecido, costuma visitar familiares anualmente. Ele tem uma irmã, a Dona Iraci, que residente no sítio Raposa, zona rural de Bezerros. A família bezerrense está consternada com a perca do familiar.

Com informações do PH Bezerros

Share

Cantor baiano, sucesso nos anos 90, se apresenta no Baile Municipal

No sábado, 23 de fevereiro, acontece no Clube Literário Rui Barbosa, a partir das 21h, mais uma edição do Baile Municipal de Bezerros. Este ano, a programação irá contar com toda a irreverência e musicalidade do cantor baiano Netinho, além da animação dos bezerrenses Henrique Barbosa, Lady Falcão, Orquestra F5 e Orquestra Cônego Alexandre Cavalcanti.

           O Baile Municipal 2019 terá como homenageado o folião Jairo Lemos. Vista a sua fantasia e não perca a maior e mais tradicional prévia carnavalesca do interior de Pernambuco! Informações sobre ingressos, mesas e camarotes na Secretaria Municipal de Turismo, localizada na Rua XV de Novembro, nº 35, Centro (antigo prédio da Coletoria). Telefone para contato: (81) 3728-6706.

O cantor Netinho sacudiu o país na década noventa como o maior cantor da axé music. Em meados dos anos 2000 se apresentou em um bloco fora de época de Bezerros e arrastou uma multidão pelas ruas da cidade. Netinho também se apresentou no Pangu Folia de 2011, evento realizado no Estádio Municipal. No vídeo acima a sua recente apresentação no show de réveillon da capital baiana.

Share

Pouca receita, muita despesa e gestores incompetentes

Amanhã, dia dez de janeiro, as mais de cinco mil prefeituras brasileiras receberão o primeiro repasse de 2019 do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), no valor de R$ 3,1 bilhões. Se somada ao Fundeb, verba carimbada para a Educação, que também cairá nas contas dos municípios, essa cifra sobe para R$ 3,9 bilhões, segundo informou a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), ontem. Pois essa dinheirama toda, apesar de sustentar a imensa maioria das prefeituras, pouco ajudará os prefeitos a fazerem algo além do mínimo necessário, tirando, por exemplo, alguma promessa de campanha do papel.

As prefeituras brasileiras – e Pernambuco não é exceção à regra – têm receitas insuficientes, algumas chegam até a ser motivo de piada, para um volume avassalador de despesas, que só cresce diante de uma crise sem fim; 13 milhões de desempregados precisando do Estado; e da ineficiência da imensa maioria dos gestores. E o que fazer para mudar esse cenário? Só o estabelecimento de um novo Pacto Federativo, onde estados e municípios fiquem com uma parcela maior de tudo que se arrecada, não é o suficiente.

É claro que uma divisão 70% a 30%, onde a União abocanha a maior parte, é inglória; coisa de país que não é sério. O Municipalismo é uma bandeira que qualquer político que tenha real compromisso com seu povo deve empunhar – um novo presidente é, também, uma nova oportunidade de se corrigir as distorções históricas. Apesar de que ninguém quer abrir mão do seu. Não vi até hoje um presidente sequer realmente comprometido com a causa; só discurso!

Mas o problema vai além do estrutural. É de recursos humanos também. A grande maioria dos prefeitos brasileiros, e até alguns governadores, são péssimos gestores. Esse quantitativo aumenta quando contamos os secretários e demais cargos de chefia. Quem vive na política tem sempre uma história para contar de algum prefeito que se desiludiu logo ao assumir o mandato. Nem todo bom político é bom gestor. Quando se junta tudo isso no balaio – crise, falta de capacidade e poucos recursos – é que pintamos o cenário desse Brasil onde estamos vivendo. E as perspectivas, infelizmente, não são as melhores.

DO BLOG DO MAGNO

Share

Bolsonaro ironiza pedido de Paulo Câmara

A equipe do blog do Magno Martins em Brasília questionou, ontem, interlocutores do presidente sobre o pedido de audiência do governador Paulo Câmara com Jair Bolsonaro. Assessores de Bolsonaro negaram que algum pedido formal havia chegado ao Palácio do Planalto, por enquanto. No entanto, Bolsonaro foi comunicado, ontem à noite, sobre o desejo do governador de Pernambuco. Bolsonaro ironizou: “Agora quer conversar”?
Jair Bolsonaro recebeu outras sinalizações de governadores do Nordeste interessados em audiência. Mas a orientação do capitão é “esperar na fila”, revelou ao blog a fonte que conversou com Bolsonaro. Paulo Câmara apoiou o candidato do PT, Fernando Haddad, durante as eleições em outubro.
Share

Apostas para Mega da Virada podem ser feitas até segunda-feira

Faltando menos de três dias para o fim do prazo de apostas, já foram registrados mais de 90 milhões de jogos na 10ª edição da Mega da Virada. O volume representa uma arrecadação superior a R$ 548 milhões.

Para concorrer ao prêmio estimado em R$ 280 milhões, apostadores ainda podem tentar a sorte até as 16h da próxima segunda-feira (31) em qualquer lotérica do país ou no Portal Loterias Online.

Pela internet, o valor mínimo exigido para apostas por dia é de R$ 30,00 e o máximo de R$ 500,00. Titulares de conta corrente na Caixa podem fazer jogos pelo computador, tablet ou smartphone utilizando o Internet Banking.

A aposta simples custa R$ 3,50, mas há outras modalidades que podem ampliar as chances para quem sonha em receber o dinheiro. Uma das maneiras é reunir grupo de apostadores e escolher os números da aposta e marcar a quantidade de cotas. São gerados recibos de cota para cada participante e, em caso de premiação, cada apostador poderá resgatar a sua parte do prêmio individualmente.

Um bolão com dez pessoas para um jogo de 10 números, por exemplo, tem custo individual de R$ 73,50. Se o jogo for contemplado, cada apostador do grupo receberá R$ 28 milhões.

De acordo com a Caixa, responsável pela loteria, a probabilidade de acerto da aposta simples de seis números é de uma em 50 milhões. Já no caso da aposta de 10 números, aumenta para uma em 238 mil. O apostador também pode adquirir cotas de bolões organizados pelas lotéricas.

Share

Fogo Cruzado-por Inaldo Sampaio

Prioridade de Moro é o combate à corrupção, à lavagem de dinheiro e ao crime organizado

Diz o ministro Raul Jungman que quando assumiu a pasta da Segurança Pública, em abril deste ano, o estado brasileiro não tinha nenhum tipo de estatística sobre os índices de violência em nosso país. Sabia-se quantas pessoas eram assassinadas por causa de fontes como delegacias de polícia, hospitais, IMLs, etc. Mas não se sabia e não se sabe ainda quantos inquéritos são abertos, quantos são concluídos e quantos são enviados ao Ministério Público. Em Pernambuco, calcula o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, menos de 10% dos inquéritos instaurados chegam efetivamente ao seu final a ponto de serem enviados ao MP. O ministro se esforçou o quanto pôde para deixar a pasta aparelhada a fim de realizar esse tipo de trabalho, porém seu ministério vai desaparecer agora em janeiro para se juntar à pasta da Justiça, que ficará sob o comando de Sérgio Moro, cuja prioridade é o combate à corrupção, à lavagem de dinheiro e ao crime organizado. E não a “guerra civil” não declarada”, que há no Brasil, cujo saldo em 2017 foram 64 mil assassinatos. Jungman deixaria para o seu sucessor um legado que qualquer um gostaria de receber: uma pasta com atribuições definidas, uma política unificada de segurança pública e dinheiro proveniente das lotéricas para executar suas atribuições. Como o ministério vai desaparecer após a posse do novo presidente, se restar dele pelo menos a continuidade das estatísticas já se terá dado um grande passo para o enfrentamento do problema.

Começo e fim

Não foi fácil para a Polícia Federal iniciar a “Operação Lava Jato”, difícil é encontrar um jeito para encerrá-la. Ela já se desdobrou em mais de 50 fases, sem contar as operações paralelas. E quase todos os dias surgem fatos novos para dificultar o seu encerramento. São tantas as operações com nomes esquisitos que é quase impossível o cidadão comum acompanhá-las.

Empréstimo 1 – O Senado autorizou recentemente os Estados do Pará, Maranhão e Ceará, além de mais de uma dezena de municípios, a contraírem empréstimos no BID. Só não tem jeito de sair os empréstimos que o Governo de Pernambuco e a prefeitura do Recife pleiteiam desde 2014.

Empréstimo 2 – O Pará foi autorizado a contrair empréstimo no valor de U$ 135 milhões. Segundo o senador Fernando Bezerra Coelho, (MDB-PE), o Estado foi apontado pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) como o de maior capacidade no país para endividar-se.

O abacaxi – A governadora eleita do RN, Fátima Bezerra (PT), que é senadora, vai receber o Estado em frangalhos das mãos do atual governador Robinson Faria (PSD): devendo três folhas aos servidores que totalizam cerca de R$ 1 bilhão. E com as Polícias Civil e Militar em greve.

A intervenção – Sorte tiveram os servidores de Roraima, que está sob intervenção federal desde o mês passado. Temer interveio no Estado, que estava ingovernável nas mãos da governadora Suely Campos, mas liberou R$ 200 milhões para que o interventor pagasse três folhas atrasadas.

A derrota – O deputado Claudiano Martins Filho (PP) perdeu o controle da Câmara Municipal de Itaíba, sua terra, após a vitória do vereador Jorge do Cachorro Quente (PTB) para presidente. Jorge derrotou por 7 x 4 o vereador Cícero Matias (PSDB), conhecido com “Tarugo”. O deputado já havia perdido o controle da prefeitura em 2016 para a petebista Regina Cunha.

Leia o blog do Inaldo Sampaio aqui

Share

Fogo Cruzado

Quem administra os presídios de Pernambuco é uma secretaria de segunda classe

Sabendo-se que o Brasil tem a terceira maior população carcerária do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos e para a China, e que Pernambuco tem a terceira maior população carcerária do Brasil, proporcionalmente ao número de vagas, talvez fosse a hora de o governador Paulo Câmara incluir no seu projeto de reforma administrativa a criação de uma Secretaria de Administração Penitenciária. Basta lembrar que alguns estados já têm ou estão criando essa Secretaria, a exemplo de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Ceará, Bahia, Rio Grande do Sul, etc. Em Pernambuco quem administra os nossos presídios é uma secretaria de segunda classe – Secretaria Executiva de Ressocialização -, que além de dispor de uma infraestrutura bastante precária tem um elevado déficit de agentes penitenciários para atender às suas demandas. Além disso, temos também presídios superlotados e de péssima qualidade, o que faz deles “barris de pólvora” e bombas relógio de efeito retardado. Sendo assim, se o Estado tem pastas para cuidar de educação, saúde, desenvolvimento agrário, cultura, fazenda, administração e recursos hídricos, por que não criar também uma secretaria para cuidar do sistema penitenciário? Se o problema for manter o mesmo número de pastas que consta do projeto original (22), extinga-se a Secretaria da Mulher que não tem serventia alguma.

Aliança com Israel

Logo após ser eleito, Bolsonaro anunciou que iria transferir de Telaviv para Jerusalém a sede da Embaixada brasileira em Israel. Irritou os árabes, mas agradou os judeus. Agora, para fazer um gesto com o Nordeste, onde perdeu de cabo a rabo, fala em importar tecnologia israelense para dessalinizar água de poços e do mar para atender aos projetos de agricultura familiar.

O custo – O uso de dessalinizadores em Pernambuco para atender à população rural foi testado com sucesso no 2º governo de Miguel Arraes (1987-1990) e no 1º de Eduardo Campos. Israel usa essa tecnologia para dessalinizar água do mar. O governo estadual usou para dessalinizar água de poços.

Obras 1 – O presidente eleito fará um grande favor a Pernambuco se concluir todas as obras hídricas que estão inacabadas, umas de responsabilidade do Ministério da Integração (que vai se transformar em Ministério de Desenvolvimento Regional) e outras sob comando do Dnocs.

Obras 2 – A mais importante de todas é a Adutora do Agreste, que não é obra de estado e sim do ministro de plantão (o próximo será Gustavo Canuto). Nunca houve um cronograma de liberação de recursos para a Compesa executar esta obra. Cada ministro liberou o que quis.

A renúncia – O cantor Alcymar Monteiro disse ao programa “Roda Vida” que se arrependeu profundamente quando se lançou candidato a prefeito de Juazeiro (CE), sua terra, em 2012, pelo PDT. As velhas forças políticas do município o deixaram isolado (apenas com o PPL) e por isso ele renunciou à candidatura.

Produção – Os advogados do ex-presidente Lula parece que trabalham por produção e não por resultado. Eles colecionam mais de uma centena de recursos negados pelo TRF da 4ª Região (Porto Alegre), pelo STJ e o STF, mas não desistem. Querem ver “Lula livre” de todo jeito.

Share

Fogo Cruzado

Bolsonaro vai assumir o governo daqui a seis dias numa conjuntura política altamente favorável. De acordo com pesquisa do Datafolha divulgada anteontem, a maioria dos brasileiros está otimista com o futuro presidente, achando que o cenário econômico vai melhorar a que a taxa de desemprego vai cair, É uma ótima notícia para o presidente eleito, que obteve nas urnas 55% dos votos válidos e vê os eleitores que o sufragaram dizendo que confiam no futuro governo. Imagine se o cenário fosse o inverso, ou seja, se a maioria dos eleitores dissesse que não confiavam no próximo governo? Seria uma tragédia para o novo presidente, que além da desconfiança dos eleitores teria que lidar também com um cenário econômico desfavorável. Sorte dele deparar com essa pesquisa, cujos indicadores são todos favoráveis ao governo que está entrando. Agora, não se deve esquecer também que Bolsonaro entregou toda a área econômica do governo a um homem só: o economista Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, que vai comandar também o Planejamento e o Ministério de Desenvolvimento Econômico, além de ter indicado os presidentes do Banco do Brasil, do Banco Central, do BNDES, da Caixa Econômica, da Petrobras, da Eletrobrás e o secretário da Receita Federal. Numa análise superficial, ou tudo dará muito certo ou tudo dará muito errado. Oxalá tudo dê certo, apesar de Bolsonaro ter entregue todo o comando da economia a um homem só – o economista Paulo Guedes, que pela primeira vez vai trabalhar no setor público.

É preciso coragem

João Doria (PSDB), governador eleito de São Paulo, convidou seis ministros de Michel Temer para o seu secretariado e apenas dois membros do seu partido. Que outro governador teria essa coragem, sabendo-se que Temer é o presidente mais impopular da história do Brasil? Sua grande conquista foi Henrique Meirelles, que como ministro de Temer tirou o país da recessão.

O contraste – Não é propriamente suntuoso o novo prédio da Compesa, em Santo Amaro, mas em relação à média das repartições públicas estaduais dá de 10 a zero. Aliás, basta compará-lo com a sede da vice-governadoria que fica a 200 metros de distância. Um é luxo e o outro é lixo.

O atraso – O Estado tem que dar explicações sobre empresas terceirizadas que trabalham para o governo estadual. O Estado diz que paga regularmente a essas empresas, ao passo que elas dizem que estão sem receber há 4 meses e por isso não pagam o salário dos seus funcionários.

Em ordem – Após enfrentar um período de turbulência, o prefeito de São Lourenço, Bruno Pereira (PTB), diz ter conseguido pôr a casa em ordem, Até o presidente da Câmara Municipal, Cícero Pinheiro (PTB), escolhido na semana passada, pertence ao seu grupo político.

Troca de dono – A revista “Veja” já começou sofrer mudanças depois que a Editoria Abril foi vendida ao empresário Flávio Carvalho (RJ). A edição desta semana veio sem a tradicional entrevista das páginas amarelas. A Editora deve R$ 1,6 bilhão a apenas quatro bancos.

A unidade – As oposições de Caruaru já está conversando visando às eleições de 2020. Tony Gel (MDB) acha cedo tratar deste assunto, mas não abre mão da cabeça da chapa para “seu ninguém”. Os outros postulantes à sucessão da prefeita Raquel Lyra (PSDB) são Wôlney Queiroz (PDT) e o Delegado Lessa (PP).

Veja o blog do Inaldo Sampaio aqui 

Share

Fogo Cruzado- Por Inaldo Sampaio

  • É difícil entender o que faz a Secretaria da Mulher no organograma do governo estadual

Seguiu sexta para a Assembleia Legislativa o projeto de lei de autoria do Poder Executivo sugerindo mudanças na estrutura administrativa do governo estadual. Não haverá redução do número de pastas e sim alterações na nomenclatura. Algumas mudanças têm razão de ser, como a junção de Esporte com Educação, e Cidades com Habitação. Também é racional a criação da Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos, absorvendo as atribuições da Secretaria de Transportes, bem como a de Políticas de Prevenção às Drogas que é o maior problema de Pernambuco na atualidade. Talvez coubesse também nesse redesenho uma Secretaria de Administração Penitenciária, absorvendo Justiça e Direitos Humanos e a extinção da Secretaria da Mulher por falta de foco. Em relação à primeira, a população carcerária de Pernambuco cresceu assustadoramente nos últimos 10 anos, com a presença de gangs organizadas em nossos presídios, e uma secretaria para cuidar exclusivamente dessa área talvez fosse mais adequado que uma secretaria executiva. No que toca à segunda, é difícil até entender o que faz a Secretaria da Mulher. Uma senhora que vem do interior para o Recife atrás de tratamento médico é assunto da Secretaria da Mulher ou da Saúde?. Já uma adolescente da rede estadual que está fazendo intercâmbio no exterior entra na cota da Secretaria de Educação ou da Mulher? É por isso que não há muito sentido na existência dessa pasta. Até porque questões de gênero, hoje, estão espalhadas por quase todas as outras secretarias.

Máquina enxuta

Bolsonaro prometeu reduzir de 29 para 15 o número de ministérios, mas vai ficar nos 22. Já o governador eleito de Minas, Romeu Zema (NOVO), vai honrar a promessa de campanha e governar com apenas 11 secretarias. O governador reeleito do Ceará, Camilo Santana (PT), em linha oposta à de Paulo Câmara, resolveu extinguir a Secretaria de Combate às Drogas.

Imexível – Roberto Tavares, presidente da Compesa, é um dos poucos nomes “imexíveis” do governo Paulo Câmara. Ou fica onde está ou assumirá a futura Secretaria de Recursos Hídricos. Tavares é oriundo da Fazenda, mas é quem mais entende de “água” hoje em Pernambuco.

Harmonia – O governador deve manter também o secretario de Defesa Social, Antonio de Pádua, cujo trabalho pela redução da criminalidade já dá os primeiros frutos. Ele é delegado da Polícia Federal e isso por si só ajuda a manter em harmonia as Polícias Civil e Militar.

Outro lado – A imprensa pega pesado no pé de João de Deus, acusado de vários estupros em Abadiânia (GO). Mas talvez já fosse a hora de mostrar também “o outro lado”, ou seja, pessoas que ele curou pela mediunidade, inclusive um conhecido marqueteiro de Pernambuco.

O Natal – Nos últimos 20 anos, a ornamentação natalina do Recife foi a mais pobre. Não se ornamentou as pontes do centro nem o trecho da Avenida Agamenon Magalhães que vai de Olinda à subida do viaduto Capitão Temudo, que era uma tradição nas gestões passadas.

Presentaço – Quem procura livro para dar de presente neste Natal, uma boa opção é “Autópsia do medo” do repórter policial Parcival Barroso. Trata-se de uma azeitada biografia do delegado Sérgio Fleury (SP), cujo nome se confunde com tortura e esquadrão da morte. No capítulo “A maldição dos porões”, ele conta o trágico fim de pelo menos duas dezenas de torturadores.

Visite o blog do Inaldo Sampaio aqui 

Share

Escala Brasil Transparente: Bezerros conquista terceiro lugar no ranking em Pernambuco

A Escala Brasil Transparente (EBT) é uma metodologia para medir a transparência pública em estados e municípios brasileiros. A EBT foi desenvolvida para fornecer os subsídios necessários ao Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-Geral da União (CGU) para o exercício das competências que lhe atribuem os artigos 59 da Lei Complementar nº 101/2000 e 41 (I) da Lei de Acesso à Informação, assim como os artigos 68 (II) do Decreto nº 7.724/2012 e 18 (III), do Decreto nº 8.910/2016.

A EBT avalia o grau de cumprimento de dispositivos da Lei de Acesso à Informação (LAI). Suas versões três versões concentram-se na transparência passiva e por isso foram realizadas solicitações reais de acesso à informação aos entes públicos avaliados. A partir da EBT, a CGU pretende aprofundar o monitoramento da transparência pública e gerar um produto que possibilite o acompanhamento das ações empreendidas por estados e municípios no tocante ao direito de acesso à informação.

Entre os municípios do Estado de Pernambuco, Bezerros ficou em terceiro lugar na escala, classificando-se com nota 7.93. “A nossa maior preocupação é sempre a transparência e a responsabilidade com os recursos públicos”, afirmou o prefeito de Bezerros, Severino Otávio (Branquinho).

Da Assessoria de imprensa da prefeitura 

Share

Fogo Cruzado- Por Inaldo Sampaio

Não exercer o mandato de deputado federal, em Brasília, desgastará João Campos 

Até ontem à noite, o governador Paulo Câmara não tinha feito convite ao deputado federal eleito, João Campos, para fazer parte de sua equipe. Se não o fizer é melhor para ambos. É bom para o governador, que se livra de uma sombra que não poderia demitir. E bom também para João Campos que estará livre para trabalhar no local em que seus eleitores gostariam de vê-lo: a Câmara Federal. Ser secretário de estado nada acrescentará ao seu currículo, independente da pasta que eventualmente viesse a ocupar. Mas não exercer seu mandato em Brasília pode desgastá-lo politicamente. Aliás, já é hora de o PSB entrar em campo para dizer ao jovem deputado que ele não é um político qualquer. Está estreando na vida pública como herdeiro do espólio do pai, Eduardo Campos, o que significa dizer que sua responsabilidade é grande perante o partido e o povo pernambucano. Sua presença no secretariado poderia até ser positivo para Paulo Câmara, que não dispõe de muitas opções para montar o primeiro escalão. Mas para João Campos seria um péssimo negócio porque a vaga de secretário não lhe dará a mesma visibilidade que a Câmara lhe garante, ainda mais sendo bisneto de Miguel Arraes, filho de Eduardo Campos e o deputado mais votado do PSB, no Brasil, além de um dos mais jovens. O jogo, pois, já começou e o deputado só não vence a partida se não quiser.

Quem é ele???

Durante sua última passagem pelo DF para assistir à posse da avó, Ana Arraes, na vice-presidência do TCU e a inscrição do nome do bisavô, Miguel Arraes, no livro dos “Heróis da Pátria”, João Campos (PSB) atraiu a atenção de muita gente. Uns queriam conhecer o bisneto de Arraes, estreante na política, outros o filho de Eduardo Campos. E todos o acharam simpático.

O nível – Paulo Câmara tem a chance de fazer um segundo governo melhor que o primeiro se escolher secretários de bom nível. Os atuais, com raras exceções, não foi ele que escolheu e sim os partidos que indicaram. Disto resultaram secretários que o governador sequer conhecia.

A troca – O governador tem dito a amigos que desta vez o secretariado será “técnico”, o que não significa que não terá políticos. Mas para dar uma “chacoalhada” no governo, ele deveria recrutar nomes na sociedade civil, nos meios acadêmicos e nos movimentos sociais. Repetir os mesmos será um erro.

E nós? – Raul Henry (MDB) aproveitou uma viagem ao DF para conversar com o deputado Osmar Terra, futuro ministro de Bolsonaro. Ele externou sua preocupação com o fato de o presidente eleito ter “esquecido” o Nordeste, deixando a região ausente do seu ministério.

O desgaste – Há anos o STF não sofria um desgaste tão grande como o de anteontem após o ministro Marco Aurélio decidir, por liminar, que réus condenados em 2ª instância deveriam ser soltos. A liminar foi cassada pelo presidente Dias Toffoli, mas o desgaste continua.

A Cultura – Lula teve a coragem de botar Gilberto Gil no Ministério da Cultura e o ex-governador da PB, Ricardo Coutinho (PSB), de convidar o cantor Chico César para a pasta similar. Pernambuco tem artistas batendo um no outro, mas nenhum deles, até hoje, foi lembrado para esta pasta, que hoje é controlada pelo PCdoB.

Visite o blog do Inaldo Sampaio aqui 

Share

FOGO CRUZADO – POR INALDO SAMPAIO

Lewandowsky autorizou a Folha de São Paulo a entrevistar Lula mas Fux cassou sua decisão

O Judiciário brasileiro está fora de rumo há muito tempo e a nação ainda não sabe quem poderá pôr ordem na casa. Tomando-se como exemplo decisões recentes, um juiz do TRF da 4ª
Região, em Porto Alegre, mandou soltar o ex-presidente Lula e minutos depois outro juiz da mesma Corte determinou que ele ficasse preso. O ministro Luiz Fux (STF) decidiu em 2014, por sentença liminar, que a magistratura tinha direito a “auxílio moradia”, sentou-se em cima da decisão durante quatro anos e só recentemente a revogou depois que o presidente Temer sancionou o reajuste de 36% para o Judiciário. Já o ministro Ricardo Lewandowsky autorizou recentemente, também por liminar, que dois jornalistas da “Folha de São Paulo” poderiam entrevistas o ex-presidente Lula na prisão. O ministro Fux, no exercício da presidência do STF, cassou a liminar do colega alegando que por sua relevância o caso deveria ser levado ao plenário, o mesmo a que ele deveria ter submetido a liminar do “auxílio moradia”, mas não o fez. Ontem, para bagunçar o coreto mais ainda, o ministro Gilmar Mendes decidiu por liminar (sempre ela) que condenados em segunda instância deveriam ser postos em liberdade em respeito ao princípio constitucional da presunção da inocência, mesmo sabendo que a jurisprudência da Corte, firmada em 2016, determina o contrário. Poucas horas depois, o presidente Dias Toffoli cassou a liminar, deixando tudo como se encontra hoje. Apesar disso, a nação se pergunta há muito tempo se temos um Supremo colegiado ou 11 Supremos individuais, em que cada um decide como quer e sem prestar contas sequer à Constituição. A volta ao princípio da colegialidade devolveria prestígio ao STF e emprestaria segurança jurídica às suas decisões.

Banal e ridículo

O ex-prefeito de Caruaru e deputado estadual eleito, José Queiroz (PDT), chama de “banal e ridículo” o motivo que o levou a ser condenado pelo TJ-PE por improbidade administrativa: o uso da expressão “promessa cumprida” em uma peça publicitária de sua gestão. Foi absolvido por 7 x 0 no TRE e por 5 x 2 no TSE. A peça foi considerada “promoção pessoal”.

Os esquecidos – Por equívoco, a coluna esqueceu de citar ontem que o deputado Claudiano Filho (PP) também representa o Agreste Meridional na Assembleia Legislativa e que o deputado Danilo Cabral (PSB), nascido e criado em Surubim, representa o Agreste Setentrional.

A disputa – O prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira, reassumiu a presidência do PR em Pernambuco, após derrubar Sebastião Oliveira, mas não se sabe até quando. O critério usado pelo presidente nacional do partido, Valdemar da Costa Neto, é prestigiar quem tem mais força.

A rejeição – Acatando parecer do TCE, a Câmara Municipal de Itapissuma rejeitou por 8 x 3 as contas do ex-prefeito Clóvis Cavalcanti do ano de 2008. Isso o deixa inelegível por 8 anos. O TCE emite o parecer, mas quem julga as contas dos prefeitos, segundo o STF, são as Câmaras.

Humanismo – O médico Romeu Krause, professor da cadeira da Ortopedia da Faculdade Mauricio da Nassau, será homenageado hoje em Mossoró (RN) por uma turma de ex-alunos. Apesar de ter grande clientela em sua clínica particular, ele diz que se sente feliz ao atender também pelo SUS.

A privatização – Já se esperava que o TRF da 5ª região manteria o processo de privatização do Aeroporto Internacional dos Guararapes no modelo proposto pelo Governo Federal, ou seja, num “pacote” que inclui também os aeroportos de Aracaju, João Pessoa, Campina Grande, Juazeiro do Norte e Maceió. O pedido de suspensão da privatização foi feito pelo deputado Felipe Carreras (PSB).

LEIA O BLOG DO INALDO SAMPAIO AQUI

Share