Datafolha: Bolsonaro 28%; Haddad, 16%; Ciro, 13%

Haddad mantém trajetória de alta, mas segue tecnicamente empatado com Ciro

Ricardo Balthazar – Folha de S.Paulo

Afastado da campanha nas ruas há duas semanas, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) manteve a liderança da corrida presidencial, de acordo com uma nova pesquisa feita pelo Datafolha.

Conforme o levantamento, concluído nesta quarta (19), o capitão reformado do Exército oscilou dois pontos para cima e alcançou 28% das intenções de voto, mantendo a trajetória de crescimento observada desde o início da campanha.

O ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que cresce desde sua confirmação como substituto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na corrida, atingiu 16% das preferências, três pontos a mais do que na semana passada.

O candidato petista continua tecnicamente empatado com Ciro Gomes(PDT), que ficou estagnado, com 13%.

O instituto entrevistou 8.601 eleitores de 323 municípios na terça e na quarta (19). A margem de erro é de dois pontos percentuais. A pesquisa foi contratada pela Folha e pela TV Globo.

As menções espontâneas a Bolsonaro também cresceram nos últimos dias, assim como as citações a Haddad.

Bolsonaro cresceu no Sudeste, Norte e Sul, onde atingiu sua melhor marca (37%), e ganhou pontos entre jovens e até entre mulheres, apesar da grande rejeição no segmento.

O petista cresceu no Sudeste e no Nordeste —onde alcança a melhor pontuação (26%) e única região em que está à frente de Bolsonaro.

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que tem quase metade do tempo de TV, está estagnado na pesquisa, com 9%.

O tucano aparece empatado com Marina Silva (Rede), que agora soma 7% das preferências, menos da metade do que tinha no início da campanha.

As simulações do Datafolha para segundo turno mostram que Ciro é o único candidato que venceria todos os rivais.

Ele bateria Bolsonaro com 45% das intenções, vantagem de 6 pontos sobre o capitão. Nos outros cenários, Bolsonaro empata com Haddad, Alckmin e Marina.

A rejeição a Bolsonaro continua alta, e a de Haddad cresceu. Segundo a pesquisa, 43% dos eleitores dizem que não votariam de jeito nenhum no capitão e 29% rejeitam o petista.

Os eleitores de Bolsonaro e Haddad são os mais convictos. Apenas um de cada quatro apoiadores dos candidatos admite escolher outro nome.

No conjunto do eleitorado, 40% dizem que podem mudar o voto. Entre eles, 15% indicam Ciro como segunda opção, 13% apontam Marina, 12% optam por Haddad e Alckmin e 11% indicam Bolsonaro.

Os eleitores de Ciro, Alckmin e Marina são os menos decididos. Mais da metade admite escolher outro candidato, e muitos têm trocado de camisa nas últimas semanas.

O instituto também perguntou aos entrevistados se sabem o número de seu candidato. Responderam corretamente 48%, e 42% não souberam dizer o número certo.

Folha de S. Paulo

Share

IBOPE: SEGUNDO TURNO ENTRE BOLSONARO E HADADD

Do G1

O Ibope divulgou, hoje, o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 2.506 eleitores entre domingo e hoje.

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 28%
  • Fernando Haddad (PT): 19%
  • Ciro Gomes (PDT): 11%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
  • Marina Silva (Rede): 6%
  • Alvaro Dias (Podemos): 2%
  • João Amoêdo (Novo): 2%
  • Henrique Meirelles (MDB): 2%
  • Cabo Daciolo (Patriota): 1%
  • Vera Lúcia (PSTU): 0%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 0%
  • João Goulart Filho (PPL): 0%
  • Eymael (DC): 0%
  • Branco/nulos: 14%
  • Não sabe/não respondeu: 7%

Em relação ao levantamento anterior do instituto, divulgado na terça-feira (11):

  • Jair Bolsonaro oscilou positivamente dois pontos, indo de 26% para 28%;
  • Haddad cresceu 11 pontos percentuais, passando de 8% para 19%;
  • Ciro manteve os mesmos 11%;
  • Alckmin oscilou negativamente, indo de 9% para 7%;
  • Marina foi de 9% para 6%;
  • Os indecisos se mantiveram em 7% e os brancos ou nulos caíram de 19% para 14%.

Rejeição

O Instituto também perguntou: “Dentre estes candidatos a Presidente da República, em qual o (a) sr. (a) não votaria de jeito nenhum? Mais algum? Algum outro?”.

Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Os resultados foram:

  • Bolsonaro: 42%
  • Haddad: 29%
  • Marina: 26%
  • Alckmin: 20%
  • Ciro: 19%
  • Meirelles: 12%
  • Cabo Daciolo: 11%
  • Eymael: 11%
  • Boulos: 10%
  • Alvaro Dias: 10%
  • Vera: 9%
  • Amoêdo: 9%
  • João Goulart Filho: 8%
  • Poderia votar em todos: 2%
  • Não sabe/não respondeu: 9%

Sobre a pesquisa

  • Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Entrevistados: 2.506 eleitores em 177 municípios
  • Quando a pesquisa foi feita: 16 e 18 de setembro
  • Registro no TSE: BR-09678/2018
  • Nível de confiança: 95%
  • Contratantes da pesquisa: TV Globo e “O Estado de S.Paulo”
Share

Pesquisa Datafolha: Bolsonaro, 26%; Ciro, 13%; Haddad, 13%; Alckmin, 9%; Marina, 8%

Do G1

O Datafolha divulgou nesta sexta-feira (14) o resultado da mais recente pesquisa de intenção de voto na eleição presidencial. A pesquisa ouviu 2.820 eleitores entre quinta (13) e sexta-feira (14).

nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes:

Veja mais dados da pesquisa

Share

RADIALISTA BEZERRENSE PARTICIPA DO ENCONTRO DA REDE GLOBO

Quem esteve participando do programa Encontro da Rede Globo nesta segunda-feira (10) foi  radialista bezerrense Rinaldo Luiz. O bezerrense aproveitou a rápida entrevista para mandar um alô para sua terra e familiares. O programa, que é apresentado pela jornalista Fátima Bernardes, é produzido e exibido direto dos estúdios Globo, no Rio de Janeiro/RJ e recebe os convidados através de um cadastro no site da Globo.

Share

BOLSONARO MOSTRA-SE FRAGILIZADO NO SEGUNDO TURNO; REJEIÇÃO AUMENTA

O IBOPE fez simulação para o segundo turno das eleições presidenciais onde mostra claramente a dificuldade do candidato Jair Bolsonaro (PSL) vencer qualquer um dos concorrentes. Outro dado preocupante diz respeito a rejeição do candidato, que oscilou dos 39% para 43%.

  • Marina 43% x 37% Bolsonaro (branco/nulo: 18%; não sabe: 2%)
  • Ciro 39% x 35% Alckmin (branco/nulo: 23%; não sabe: 3%)
  • Alckmin 43% x 34% Bolsonaro (branco/nulo: 20%não sabe: 3%)
  • Marina 38% x 37% Alckmin (branco/nulo: 23%não sabe: 2%)
  • Ciro 45% x 35% Bolsonaro (branco/nulo: 17%não sabe: 3%)
  • Alckmin 43% x 29% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)
  • Haddad 39% x 38% Bolsonaro (branco/nulo: 20%; não sabe: 3%)
  • Ciro 41% x 35% Marina (branco/nulo: 22%não sabe: 2%)
  • Marina 42% x 31% Haddad (branco/nulo: 25%; não sabe: 3%)
  • Veja a pesquisa completa aqui
Share

Pesquisa Datafolha: Bolsonaro, 24%; Ciro, 13%; Marina, 11%; Alckmin, 10%; Haddad, 9%

O Datafolha divulgou nesta segunda-feira (10) uma nova pesquisa de intenção de voto para presidente da República. É o primeiro levantamento do instituto desde que o Tribunal Superior Eleitoral rejeitou a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência.

Lula está preso em Curitiba, condenado a 12 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

O Datafolha pesquisou o cenário em que o nome de Fernando Haddad, candidato a vice-presidente pelo PT, aparece como possível substituto de Lula na chapa.

nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Vamos aos números:

Share

Bezerros apresenta no Rio de Janeiro o seu sucesso da Sala do Empreendedor

A Sala do Empreendedor Bezerros se fez presente no Encontro Estadual de Agentes de Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro. No evento, que o SEBRAE RJ realizou dia 5 deste mês, a Agente de Desenvolvimento do nosso município, Valdilene Luz, participou do Painel AGENTES QUE TRANSFORMAM , e na ocasião mostrou ao Rio de Janeiro que Bezerros implementa 100% das políticas de Desenvolvimento contidas na Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, trabalhando para promover um melhor ambiente para o fortalecimento dos pequenos negócios, através de projetos que visam a qualificação profissional e gerencial.

Dentre os resultados mostrados foram : que em 1 ano e meio , a Sala do Empreendedor realizou 35 cursos, 20 oficinas, 25 palestras , formalização de 250 pequenos negócios, acompanhamento de 550 microempreendedores individuais, somando-se 6200 pessoas que frequentaram nossas capacitações, sem contar o atendimento empresarial. Portanto, em 1 ano e meio atendemos 24% das empresas ativas no município e capacitamos quase 10% da população.

O que mais chamou a atenção dos cariocas foram as grandes parcerias firmadas para que tudo isso viesse se realizar e também a quantidade de pessoas que compõem nossa equipe, apenas 3 pessoas : o Secretário de Governo Josevanio de Miranda e as Agentes de Desenvolvimento Jucéia Silva e Valdilene Luz. De modo descontraído, questionaram qual o segredo de uma equipe tão pequena alcançar tamanho resultado em pouco tempo? E Valdilene Luz respondeu que quando se trabalha com responsabilidade, amando o que faz , qualquer dificuldade é superada, as parcerias a serem firmadas ficam mais fáceis de realizar e também o apoio da mídia local que contribui com a divulgação e visibilidade do nosso trabalho que visa promover o desenvolvimento de nossa cidade.

O evento e caso de sucesso da nossa cidade foram citados no Jornal Extra e no Jornal Voz da Cidade do RJ.

Da Assessoria

Share

Bandas marciais e coreografias empolgam público no desfile da independência em Bezerros

Como já era esperado, o desfile da independência em Bezerros teve um público de mais de 3 mil pessoas que vibrou intensamente com as apresentações das 16 escolas participantes, especialmente com o show dado pelas principais bandas marciais da cidade e as coreografias das comissões de frente. Além das escolas da cidade tivemos participações de bandas de Camocim de São Félix, Sairé e Gravatá e outras participações que abrilhantaram ainda mais o desfile, como o Programa Vida Ativa, Igreja Adventista e CEEB. O desfile começou com o pelotão das bandeiras puxando e uma faixa com o tema do desfile: Educação Sustentável, um caminho para a CIDADANIA.

Com mais de 2 mil alunos professores e funcionários participando dos desfiles, 10 Bandas fizeram a festa ficar ainda mais exuberante, principalmente quando pisaram na avenida as bandas Paulo Queiroz, da EEEQ, BAMFG do Municipal, ETE e CEMAIC, que encantaram o público com suas coreografias e comissões de frente desempenhando com maestria as suas apresentações seguindo o tema do desfile mas também inovando, como foi o caso da banda show do EEEQ, que levantou a galera com o tema Circo da Vida; o Municipal e o CEMAIC, que apresentaram temas como flora, fauna e alimentação sustentável.

As escolas técnicas da cidade, EREM e ETE também desfilaram com suas bandas, com destaque para a cidadania e alinhamento da ETE, com 450 alunos devidamente uniformizados com o fardamento escolar e uma coreografia com indumentária em cordel; José de Góis e EMIRB mostraram ritmo com suas fanfaras e escolas rurais desfilaram dentro do tema proposto. A Escola Municipal Monsenhor Florentino de Oliveira fez um belo desfile e encenou um teatrinho de cidadania em frente aos palanques das autoridades. Após as apresentações, houve a evolução das bandas marciais fechando com chave de ouro o desfile da independência de 2018, em Bezerros.

Share

Uma eleição fora dos trilhos

Bernardo Mello Franco – O Globo
O ataque a Jair Bolsonaro é o episódio mais lamentável de uma eleição que saiu dos trilhos. A violência ronda a campanha desde março, quando dois tiros atingiram a caravana do ex-presidente Lula no Paraná. Ontem o candidato que lidera as pesquisas foi vítima de uma facada em Juiz de Fora.

O atentado contra Bolsonaro é inaceitável. Numa democracia, as divergências devem ser resolvidas no debate de ideias e no voto. O discurso radical do deputado não justifica o uso da força contra ele.

A facada pode mudar os rumos da eleição. Com o impedimento de Lula, Bolsonaro virou líder da corrida presidencial. No entanto, pesquisas telefônicas que circulam nas campanhas indicavam que ele começava a cair. O desgaste era atribuído ao intenso bombardeio na propaganda de Geraldo Alckmin.

Agora os comerciais que criticavam o capitão serão retirados do ar. A comoção com o ataque também deve ter consequências eleitorais. Elas serão medidas na próxima rodada de pesquisas, que Ibope e Datafolha vão divulgar depois do feriadão.

Em março, Alckmin desdenhou do atentado contra a caravana lulista e disse que os petistas estariam “colhendo o que plantaram”. Bolsonaro sugeriu, sem provas, que o ataque a tiros teria sido armado.

Ontem ninguém repetiu o erro de culpar a vítima. Os principais candidatos condenaram a intolerância e desejaram pronto restabelecimento ao deputado. É o mínimo que se espera numa disputa civilizada.

Hoje os presidenciáveis devem se recolher em respeito a Bolsonaro, que se recupera da cirurgia a que foi submetido. É um bom momento para que todos pensem no que podem fazer para esfriar os ânimos e evitar novos atos de violência na campanha

Share

Bezerrenses acompanham presidenciável em Caruaru

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) cumpre agenda de campanha nesta quinta-feira(06) na cidade de Caruaru onde foi recebido por lideranças locais. Quem acompanha o presidenciável é o pernambucano Túlio Gadelha, candidato a Deputado Federal.  Os bezerrenses Ítalo  Wesley e o Luizinho (primo do Gadelha) acompanham a agenda. .O gerente da Compesa de Bezerros, João Paulo Alencastro, também prestigiou a visita do presidenciavel.

 

Share

Enfim brasileiros começam a se ligar na eleição

Paulo Celso Pereira – O Globo

Há um velho bordão repetido em Brasília que diz que “eleição só começa quando muda o horário da novela”. A primeira pesquisa após o início do programa eleitoral de rádio e TV prova que enfim a eleição entrou na vida dos brasileiros. Há diversas evidências disso. Duas semanas atrás, 38% dos brasileiros ouvidos pelo Ibope optavam por anular, votar em branco ou não respondiam. Após a série de entrevistas no “Jornal Nacional” e cinco dias de propaganda televisiva, esse percentual caiu para 28%.

Outra evidência importante é a forte rejeição a Jair Bolsonaro, que atingiu 44%, quase o dobro da de seus principais adversários. Há duas semanas, num cenário que ainda incluía Lula, o percentual dos que diziam não votar de forma alguma no capitão reformado era de 37%. Detentor de um latifúndio de tempo no rádio e na TV, Geraldo Alckmin dedicou boa parte de seus comerciais a desconstruí-lo. Funcionou.

Embora tenha conquistado dois pontos de intenção de voto, chegando a 22% no primeiro turno, o candidato do PSL começa a vislumbrar, na pesquisa desta semana, um dos maiores riscos para sua campanha — a possibilidade de ser visto como aquele que inexoravelmente sairá derrotado no segundo turno.

Dos quatro cenários pesquisados pelo Ibope, Bolsonaro perde por cerca de dez pontos para os três nomes que hoje dividem, em empate técnico, a segunda posição da pesquisa: Ciro Gomes, Marina Silva e Geraldo Alckmin. No quarto cenário, o capitão reformado empata com o petista Fernando Haddad, que ainda nem foi oficialmente lançado.

A estratégia de Alckmin é justamente antecipar para o primeiro turno o voto útil dos eleitores da direita, alardeando ser aquele com maior possibilidade de derrotar a esquerda, sobretudo o PT, no segundo turno. A pesquisa, no entanto, também trouxe notícias preocupantes para o tucano. Embora tenha avançado de 7% para 9% das intenções de voto, ampliou-se a pulverização de votos entre outros nomes de seu campo político, especialmente João Amoedo — que empatou numericamente com Álvaro Dias, com 3% — e Henrique Meirelles, que flutuou de 1% para 2%.

Ciro Gomes parece ter sido o principal beneficiado do início da campanha. Sua intenção de votos cresceu três pontos, único movimento fora da margem de erro, e ele empatou numericamente com Marina Silva na segunda posição da corrida, com 12%. Embora Haddad tenha conseguido ir de 4% para 6%, o avanço do pedetista deve ligar um alerta no PT.

Share

BOLSONARO FORTE NO PRIMEIRO TURNO SE FRAGILIZA NO SEGUNDO

Segundo turno

O Ibope fez quatro simulações de segundo turno, todas com Jair Bolsonaro, líder nas intenções de voto, na disputa. Veja os números:

Ciro Gomes: 44%

Jair Bolsonaro: 33%

Branco/ nulo: 19%

Não sabe/ não respondeu: 4%

—–

Geraldo Alckmin: 41%

Jair Bolsonaro: 32%

Branco/ nulo: 23%

Não sabe/ não respondeu: 4%

—-

Marina Silva: 43%

Jair Bolsonaro: 33%

Branco/ nulo: 20%

Não sabe/ não respondeu: 3%

—-

Jair Bolsonaro: 37%

Fernando Haddad: 36%

Branco/ nulo: 22%

Não sabe/ não respondeu: 5%

Rejeição

O candidato Jair Bolsonaro é o presidenciável com a maior taxa de rejeição entre os postulantes ao Planalto neste ano, mostra pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo. Entre os eleitores entrevistados no levantamento, 44% dizem que não votariam em Bolsonaro “de jeito nenhum”.

A segunda maior rejeição é a de Marina Silva, com 26% dos entrevistados afirmando que não votariam na candidata da Rede. Fernando Haddad é o terceiro mais rejeitado, com 23%. Alckmin tem 22% de rejeição e Ciro Gomes tem 20%.

A pesquisa, encomendada pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo, foi feita entre os dias 1 e 3 de setembro. 2002 pessoas foram entrevistadas.A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos, considerando um intervalo de confiança de 95%.

Share