Diogo Lemos destaca a NÃO atuação da Vigilância Ambiental no município

O vice-presidente da Câmara de Vereadores, Diogo Lemos (PSB), chamou a atenção sobre o trabalho da Vigilância Ambiental no município, que, segundo ele, não estaria cumprindo com as suas obrigações. O vereador destacou cuidados com a leishmaniose e a raiva, alertando que, mesmo com a situação estável, as doenças podem se tornar endêmicas.
“Trago uma fala a respeito da Vigilância Ambiental do nosso município, que está desassistida, falei aqui há três ou quatro meses. Ontem morreu um animal canino no João Paulo II e não foi tomada nenhuma providência, este caso já tinha sido solicitado para visita a mais de 7 dias e nada foi providenciado, então está muito grave, pois não existe o controle da leishmaniose na maneira adequada e da forma que tem que ser. A doença hoje no nosso município está estável, mas ela pode muito bem se tornar endêmica. Lembrar que, em 2018, existia o controle em sua plenitude e morreu uma criança lá em Cajazeiras por leishmaniose. Na época, existia a Vigilância Sanitária a Vigilância Ambiental trabalhando no município em sua plenitude, imagine vocês da forma que está, sem funcionar e sem atuar, podemos ter problemas futuros! Relatei aqui em reuniões passadas do caso da raposa que foi encontrada com raiva e não se fez as recomendações necessárias, tem que isolar a área de 6 km, tem que se fazer o controle, tem que se fazer a vacinação de todos aqueles cães e gatos naquela região. Fica a pergunta se existe profissionais competentes para atuar dentro do município nessa área? Existe, mas tá faltando liderança, tá faltando coordenação, tá faltando quem saia para levar esse povo para designar o trabalho aonde realmente precisa ser feito”, destacou.
Diogo Lemos ironizou o fato de que sequer o dever de casa esteja sendo cumprido. “Na Secretaria de infraestrutura existe um tanque utilizado de forma improvisada, sem tampa, totalmente cheio de larvas. Registrei e passei as informações, porém, até o momento, a gente percebe que nenhuma atitude e nenhuma notificação estão sendo feita neste sentido. Então fica aqui novamente o meu apelo: Será que alguma coisa começa a ser executada neste sentido de controle e de vigilância ambiental dentro do município”, concluiu.

Share

Os comentários estão desativados.