PARCERIA É CANCELADA E FERROVIÁRIO VOLTA PARA O CABO DE SANTO AGOSTINHO

A torcida bezerrense que já havia adotado a equipe do Ferroviário como sendo sua representante no futebol pernambucano, recebeu uma triste notícia nesta última semana, o presidente Nino em entrevista ao programa boletim esportivo da 104 FM confirmou a informação que estava circulando nas redes sociais nos últimos dias, a equipe do Ferroviário deixa a cidade de Bezerros e volta para a sua terra natal, a cidade do Cabo de Santo Agostinho. Segundo Nino a cidade de Bezerros já não estava oferecendo condições para que a agremiação ficasse na cidade, “aqui infelizmente tivemos um ano de 2020 muito difícil, não tivemos local para treinar e nem jogar, a reforma do estádio municipal é interminável e ainda não é certo de que vá ganhar dimensões oficiais ao término de sua reforma, então com estas incertezas e ainda recebendo uma pressão da Federação Pernambucana de futebol para definir o nosso futuro, até porque tinhamos até o final do ano para definirmos onde estaríamos sediados este ano para a disputa da série A-2, do contrário corríamos o risco de ter que pagar uma multa de cerca de R$ 150.000,00 em caso de termos que escolher outra sede no ano que vem. Mas um dos motivos que nos fez realmente deixar esta parceria com os bezerrenses Jackson Medeiros e Bruno de Kakai foi o convite de um empresário gravataense que possui campos de futebol e uma estrutura no bairro de Candeias onde teremos condições para realizar um bom trabalho, já com relação as partidas estaremos mandando os nossos jogos no estádio Gileno de Carli no Cabo de Santo Agostinho”, concluiu Nino, presidente do Ferroviário.

PARCERIA DUROU POUCO….

A parceria entre o Ferroviário do Cabo e o Grupo Tribus (empresa de Jackson Medeiros) teve início em dezembro de 2019 e previa um período de dez anos em que a equipe teria como sede a cidade de Bezerros, a proposta inicial era que a equipe mandasse os jogos no estádio Tenente Luiz Gonzaga que estava em reforma, porém ainda havia a incerteza com relação as dimensões do campo de jogo. Porém o que era pra ser uma parceria virou um pesadelo quando o mundo todo foi pego de surpresa com a pandemia da Covid-19 que atrapalhou todo o planejamento da equipe que já havia feito nos dois primeiros meses do ano cerca de sete peneiras. A intenção dos dirigentes bezerrenses era de participar de cinco competições oficiais da FPF, entre elas a Copa Pernambuco e o estadual da série A-2. Por conta deste imprevisto apenas o pernambucano da série A-2 terminou sendo a única competição oficial em que os bezerenses participaram. Sem lugar para treinar e jogar a equipe precisou se virar nos trinta o que elevou e muito os custos principalmente com as viagens e tendo que alugar estádio para poder jogar. Por tudo isto Nino tomou esta decisão acreditamos que de forma unilateral de dar por fim a parceria. Em resposta a nossa reportagem o vice presidente Bruno de Kakai falou que em breve fará um pronunicamento para melhor explicar o que de fato ocorreu e as medidas que os dirigetnes locais poderão tomar com relaçao a este desfecho.

Fonte Boletim Esportivo (Bezerros Agora).

Share

Os comentários estão desativados.