NÃO DEIXEMOS QUE NENHUM SOFRIMENTO NOS TORNE ESCRAVOS DA DOR

Não é fácil atingir um processo de cura e de superação quando estamos ainda com nossas feridas abertas sangrando por dentro,  enfrentando momentos atordoados pela dor de uma perda, pela dor de uma saudade, pela dor de um término, pela dor da tristeza, pela dor de nossas insatisfações, pela dor de nossas emoções, pela dor de nossas limitações, ou mesmo pela dor de nossos medos. Nada é fácil diante da dor que nos dilacera o coração e angustia nossa alma mediante nossos dias, envoltos em sofrimentos por causa de tantos problemas e desafios que enfrentamos. Porém, embora a dor possa nos devastar com sua força, ela não é mais forte do que nós, do que nossa essência, e nem fica no controle de nossa vida se nós não deixarmos. Infelizmente não existe fórmula mágica, fácil e rápida que nos ensine a excluir a dor de nossas vidas. Todavia, muitas vezes doer pode ser inevitável, mas não nos obriga a viver como escravos permanentes desse sofrer. Contudo, apenas nós mesmos é que podemos adestrar nossa dor, que podemos nos impulsionarmos sobre ela e assumirmos o controle de nossas emoções e de nossos passos. Ninguém está ileso de doer, nem tão pouco condenado a viver doendo por toda a sua vida. E posicionar-se contra a sua própria dor não é parar de doer, é apenas conseguir seguir em frente mesmo propenso a doer de novo. E compete individualmente a cada um de nós a decisão de conviver com dor  permanecendo infeliz, ou simplesmente viver intensamente a vida sabendo administrar a própria dor. O poder da decisão é uma dádiva que podemos usufruir todos os dias.


A palavra para hoje é ESCOLHAS.
(Mariana Helena de Jesus)

www.marianahelenadejesus.blogspot.com.br

Share

Os comentários estão desativados.