Governo Breno colocou Bezerros como a pior gestão fiscal de todo Estado

Dados de 2020 colocou o município em destaque vexatório.

O Índice Firjan de Gestão Fiscal (IFGF), divulgado nessa quinta-feira (21), revelou que mais de 60% das cidades pernambucanas têm situação fiscal difícil ou crítica. No estudo, elaborado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), foram avaliados 182 dos 184 municípios do Estado, que, na média, atingiram 0,3502 ponto (duas cidades ficaram de fora da pesquisa por falta de dados ou inconsistências).

Divulgado anualmente desde 2013, o índice mostrou que apenas 15 municípios pernambucanos foram eficientes na gestão fiscal em 2020, o que corresponde a 8,2% do total das 182 cidades pernambucanas valiadas.

O IFGF é composto por quatro indicadores que avaliam autonomia, gastos com pessoal, liquidez e investimentos. A pontuação varia de 0 a 1, sendo considerada situação crítica quando o resultado é inferior a 0,4, difícil quando fica entre 0,4 e 0,6, boa no intervalo de 0,6 a 0,8 e excelente acima de 0,8. Considerando os municípios avaliados em todo o Brasil, a média foi de 0,5456.

Em Pernambuco, as cinco piores notas ficaram com os municípios: Bezerros, Palmeirina, Barreiros, Catende e Altinho. As cinco melhores classificações foram: Sertânia – que ficou em primeiro lugar -, Goiana, Vitória de Santo Antão, Paulista e Petrolina.

Os 10 municípios de PE com as piores notas:

173º Lagoa do Carro – 0,0702
174º São João – 0,0590
175º Jurema – 0,0564
176º Ribeirão – 0,0553
177º Moreilândia – 0,0491
178º Altinho – 0,0468
179º Catende – 0,0387
180º Barreiros – 0,0343
181º Palmeirina – 0,0283
182º Bezerros – 0,0145

Fonte: Jornal do Commercio

Share

Os comentários estão desativados.