Coluna Voz política: “Fulano é filho de quem?”

“Fulano é filho de quem?”

Porque o medo de alguns com novas pessoas surgindo na política de Bezerros

Não é de hoje que as decisões políticas do município tem se restringido na última década a um grupo, que luta eleição a eleição para não deixar o poder, o pior de tudo é que é apenas pelo poder. Fazem piada, subestimam e principalmente intimidam ao questionar: “Fulano é filho de quem?” numa clara evidência que para esses alguns, a política não cabe aos sonhadores sem berço tradicional, esses podem ser ousados e destemidos, o que não agrada muito aos “experientes” do mundo político.

Em Bezerros parece regra desacreditar das novas lideranças que possam surgir, isso tem afastado muita gente boa do cenário político. Mais um evento vem aí, as eleições de 2020 já batem a porta de uma cidade que pede socorro às pessoas que estejam interessadas em dialogar Bezerros, com humildade, respeitando as diferenças e com a intenção de unir quem deseja mudança. Esse sentimento deverá ser mais do que uma luta por troca de pessoas, e sim de uma nova conquista onde novos bezerrenses possam ser oportunizados e convocados à contribuir por méritos e por de fato apresentar soluções a questões que a cidade necessita urgentemente priorizar. 

Não pode uma, duas ou três pessoas acharem que mandam em nosso município, que as decisões somente pertence a eles, mais do que nunca é tempo de renovação política. E quando a infeliz pergunta soar como tom de desmotivação: “Fulano é filho de quem?” seguirá como resposta:  “Somos filhos de Marias e Joãos” e vamos falar sobre política!”  A participação das novas lideranças, unidas as que já se destacam no cenário político defensoras da renovação política, serão sem sombra de dúvidas; o basta! que Bezerros vem necessitando escutar desde o início dos anos 2000, onde parece que a nossa cidade ainda vive ou sobrevive.

Opiniões: instagram @ericksonclaudino                                  E-mail: ericksonclaudinno@gmail.com

Share

Os comentários estão desativados.